Balanço patrimonial: o que é e como fazer?

por Americanas Marketplace

23 de junho de 2022

Descubra o que é balanço patrimonial e como ele impacta a saúde financeira do seu negócio

Manter a saúde financeira de uma empresa em dia não é uma tarefa fácil. E justamente para isso que temos o balanço patrimonial: um documento essencial para a gestão financeira de qualquer negócio. 

Ter um bom planejamento financeiro é essencial para uma empresa entregar resultados consistentes e se manter a longo prazo. E quanto falamos sobre micro e pequenas empresas, esse assunto é ainda mais delicado, pois são negócios que possuem poucos recursos. 

Em resumo, o balanço patrimonial nada mais é do que um relatório financeiro que apresenta a situação econômica de uma empresa em um período, apresentando uma lista com todos os bens, direitos, recursos e investimentos e mais detalhes financeiros sobre o negócio.

Dessa forma, o documento possibilita uma visão mais clara de todas as movimentações econômicas da empresa, fazendo com que os negócios também consigam tomar decisões mais assertivas no que influencia o setor financeiro.

Entenda mais detalhes sobre a estrutura do balanço patrimonial e seus cálculos, e veja como tudo isso pode impactar o desenvolvimento do seu negócio. 

O que é o balanço patrimonial? 

O balanço patrimonial é um relatório contábil que contesta toda a situação financeira de um negócio em um determinado período de tempo — o mais comum é 12 meses, quando é apresentado um balanço anual da empresa. 

Também conhecido como balanço contábil, o documento fornece um levantamento geral que identifica todos os bens, direitos, recursos, investimentos e outros valores da empresa. 

Porém, além de identificar o dinheiro que entra para a empresa, o balanço patrimonial também considera todas as despesas, como as dívidas e obrigações fiscais. 

Dessa forma, o documento permite que o negócio faça um “balanço” entre os valores que ela tem e o que deve ser pago. Com essa visão ampla da situação financeira da empresa, é possível identificar dívidas, quitar o que for possível e até mesmo entender onde e quando será possível realizar novos investimentos. 

O balanço patrimonial é uma importante demonstração financeira que deve ser feita por empresas de todos os tamanhos e segmentos — lembrando que a apresentação dele é obrigatória por lei. 

Qual a importância do balanço patrimonial? 

Para grande parte das empresas, o balanço patrimonial é uma obrigação prevista por lei.De acordo com o § 1º do artigo 176 da Lei 6.404/76, ao final de cada exercício social, as empresas devem apresentar esse demonstrativo. 

Independentemente do tamanho da empresa, o balanço patrimonial oferece à empresa uma visão geral e clara sobre a situação financeira, fazendo com que a gestão do negócio ocorra de forma mais eficiente e assertiva para o seu desenvolvimento e crescimento no mercado.

Sendo assim, entre as principais funções da do balanço patrimonial, podemos destacar: 

  • apresentação de todas as informações financeiras do negócio;
  • análise comportamental da contabilidade do negócio; 
  • compreensão de todas as entradas e saídas de capital;
  • elaboração de planejamento financeiro;
  • negociações mais assertivas com fornecedores e terceiros;
  • informações atualizadas para investidores;
  • tomada de decisões mais assertivas para as próximas movimentações.

Balanço patrimonial x Fluxo de caixa

Como o balanço patrimonial considera tudo que envolve a situação financeira de uma empresa, ela também contabiliza o fluxo de caixa, mas vai além dele. 

O fluxo de caixa é uma parte importante do balanço patrimonial, porém ele também contabiliza todos os gastos da empresa, para oferecer uma visão geral da situação financeira do negócio e justamente chegar nesse “balanço” entre gastos e lucros. 

Balanço patrimonial x DRE

O balanço patrimonial e o DRE (Demonstrativo de Resultados do Exercício) são dois relatórios contábeis muito parecidos, porém com particularidades e finalidades diferentes. 

O cálculo do balanço patrimonial resulta na posição financeira de uma empresa ao final de determinado período de tempo – normalmente analisado ao final do exercício social, ou seja, anualmente. 

Enquanto o DRE resume as movimentações da empresa em um determinado período, a fim de mostrar se o negócio obteve lucro ou prejuízo. Ele é elaborado de acordo com o Regime de Competência, ou seja, as despesas são lançadas assim que acontecem e não somente quando recebidas ou pagas. 

Os dois demonstrativos são primordiais para a gestão de uma empresa, porém um não anula ou substitui o outro. Como eles servem para análises diferentes e são realizados em momentos variados, você não deve deixar de fazer um por causa do outro. 

O DRE complementa o balanço patrimonial. Uma vez que esses relatórios são realizados juntamente, eles garantem uma melhor gestão financeira dos negócios, garantindo que algumas decisões estratégicas sejam tomadas de forma mais assertiva. 

Existe um momento ideal para fazer o balanço patrimonial? 

Conforme consta no Código Civil, o balanço patrimonial é uma obrigatoriedade para várias empresas e deve ser apresentado ao final de cada exercício social. 

O exercício social é o nome dado ao período contábil, que, na maioria das vezes, compreende um período de um ano. Sendo assim, o balanço patrimonial costuma ser elaborado a cada 12 meses, sendo apresentado no início do ano seguinte do ano considerado. 

Porém, caso a sua empresa tenha objetivos diferentes ou metas em períodos diferentes, como a cada 6 meses, por exemplo, você pode fazer o documento em outros momentos, levando em consideração um determinado período que faz sentido para o seu negócio. 

Como funciona o balanço patrimonial?

Agora que você já sabe o que é o balanço patrimonial, chegou a hora de entender a sua estrutura, que é totalmente personalizável e composta por três informações principais: os ativos, os passivos e o patrimônio líquido.

O balanço patrimonial recebe esse nome porque a sua estrutura remete a uma “balança”, onde no lado esquerdo temos os ativos — que são os bens e direitos da empresa —e no lado direito estão os passivos — obrigações financeiras — e o patrimônio da sociedade, e ambos os lados devem ficar equilibrados. 

Assim, a regra básica da contabilidade para chegar ao equilíbrio do balanço patrimonial é:

Ativo = Passivo + Patrimônio Líquido

ou

Patrimônio Líquido = Valor do ativo – Valor do passivo

A estrutura do balanço patrimonial

Antes de começar a calcular, é importante que você conheça e entenda cada um dos pilares do balanço patrimonial: ativos, passivos e patrimônio líquido.

Ativos

Os ativos são basicamente tudo que gera valor econômico para uma empresa. Ou seja, são os bens, direitos e recursos do negócio. 

Podemos considerar ativos todas as aplicações, investimentos financeiros, títulos públicos ou privados e todos os bens, desde maquinários e equipamentos de escritório até veículos e imóveis. Tudo que a empresa tem direito de receber — contas ou dívidas, por exemplo — também fazem parte desse quadro. 

Assim, podemos resumir que tudo que uma empresa tem e pode ser vendido e convertido em dinheiro, é considerado um ativo do negócio. 

Passivos 

Como o próprio nome sugere, os passivos são o contrário dos ativos. Sendo assim, eles representam tudo aquilo que a empresa deve pagar. Aqui, consideramos as despesas, dívidas, contas, salários de colaboradores, entre outras obrigações financeiras de um negócio. 

Aqui, também são considerados como passivos os impostos, tributos e até empréstimos, pois são gastos considerados necessários para o funcionamento do negócio. Podemos resumir então que os passivos são todas as saídas de dinheiro da contabilidade de uma empresa.

Patrimônio Líquido

O Patrimônio Líquido, ou balanço patrimonial, é o capital ou recurso próprio que a empresa possui, que é encontrado a partir de uma conta entre os ativos e passivos do negócio. 

Assim, o Patrimônio Líquido nada mais é do que o retorno financeiro que o negócio tem quando consideramos todas as entradas e saídas de dinheiro no final de um certo período. 

Diante desse cálculo, é possível entender a real situação financeira do negócio e, caso o saldo esteja negativo, ver se é necessário fazer algum ajuste nos ativos para balancear os gastos ou desenvolver outras soluções para manter a saúde financeira do negócio. 

Agora, caso o negócio obtenha um resultado positivo, é possível considerar esse saldo para investir na própria empresa, modernizando, desenvolvendo e expandindo o negócio. 

balanço patrimonial - interna

Estrutura de Ativos e Passivos no Balanço Patrimonial

Para facilitar o entendimento do balanço patrimonial e ajudar na análise final, os ativos e passivos são separados em dois grupos diferentes, sendo eles circulantes e não-circulantes. 

Assim, para os ativos consideramos:

  • Ativos circulantes: são aqueles valores que estão sempre em movimento e podem variar em um determinado período, como os bens e direitos da empresa – aplicações financeiras, contas a receber, estoques, entre outros. 
  • Ativos não-circulantes: são aqueles bens e direitos que estão em outra forma e podem demorar um certo período de tempo para se transformarem em valores – se forem transformados. Então, temos investimentos, imóveis, entre outros bens. 

Já em relação aos passivos, podemos considerar: 

  • Passivos circulantes: são os passivos que apresentam um prazo de vencimento mais curto, inferior a um ano, como pagamentos de salários e fornecedores, obrigações fiscais – como impostos, por exemplo – entre outros.
  • Passivos não-circulantes: são os passivos com um longo prazo de vencimento, superior a um ano. Os empréstimos de longo prazo e financiamentos são alguns exemplos de passivos não-circulantes. 

E se a empresa não fizer o balanço patrimonial? 

Como já vimos anteriormente, o balanço patrimonial é obrigatório por lei para várias empresas, até as de pequeno porte, exceto aquelas optantes do Simples Nacional. Assim, antes de qualquer coisa, cheque a situação da empresa para entender o enquadramento dela. 

O descumprimento dessa obrigação pode acarretar alguns transtornos para a empresa além de não conseguir acompanhar e avaliar o desenvolvimento das atividades financeiras da empresa. 

O seu negócio ainda pode ser impedido de determinar e dividir os lucros determinados a cada um dos sócios ou donos, e usar as informações financeiras como argumento em processos tributários ou requisições de recuperação judicial.

O que deve ser analisado no balanço patrimonial? 

O balanço patrimonial deve ser analisado com cuidado e de forma estratégica, pois ele não oferece uma resposta única e concreta. Mais do que entender se o seu cenário é favorável ou se o seu saldo está positivo e negativo, esse documento oferecerá uma visão do futuro do seu negócio, ditando quais serão os próximos passos. 

Dependendo da situação do balanço patrimonial da sua empresa, você poderá dar uns passos para trás e fazer ajustes nos seus ativos para manter a saúde financeira do seu negócio em dia. 

Se a sua situação for favorável, isso pode indicar que é um bom momento para expandir seu negócio com mais segurança. Nesse caso, lembre-se sempre de tomar decisões conscientes, que não irão afetar a saúde financeira do seu negócio de forma negativa no futuro. 

Principais indicadores do balanço patrimonial

Conheça os principais indicadores do balanço patrimonial e veja como é possível calculá-los neste levantamento:

Indicadores de renda

Os indicadores de renda nada mais são do que os lucros da empresa. Assim, nesse quesito, podemos considerar o giro de ativos, retorno sobre os ativos e retorno sobre o Patrimônio Líquido. 

Para encontrar cada um desses números, você deve realizar os seguintes cálculos: 

  • Giro de ativos: vendas / ativo total
  • Retorno sobre os ativos: lucro líquido / ativo total
  • Retorno sobre Patrimônio Líquido: lucro líquido / patrimônio líquido

Indicadores de liquidez

Os indicadores de liquidez são aqueles valores que podem ser resolvidos em um curto prazo. Assim, consideremos aqui a liquidez corrente, liquidez imediata e a liquidez seca e geral. 

Esses valores de liquidez podem ser calculados das seguintes formas: 

  • liquidez corrente: ativo circulante / passivo circulante
  • liquidez imediata: disponível / passivos circulantes
  • liquidez seca: (ativos circulantes – estoques) / passivos circulantes
  • liquidez geral: (ativos circulantes + realizável em longo prazo) / (passivo circulantes + exigível em longo prazo)

Indicadores de dívidas

Como o próprio nome indica, os indicadores de dívidas revelam as dívidas de uma empresa sobre o seu patrimônio, ou seja, os endividamentos do negócio. Aqui, existem alguns cálculos que podem ser feitos. 

Caso você queira calcular o índice EF, que considera todas as dívidas, você deve utilizar a seguinte fórmula: dívida bruta/patrimônio líquido. 

Já se você quer identificar o grau de endividamento do seu negócio – que te mostra o valor percentual da dívida – ou o endividamento  –  valor exato da dívida  – , você deve realizar os cálculos considerando os passivos da empresa. Dessa forma:  

  • Endividamento: passivo total / ativo total
  • Grau de endividamento: passivo / patrimônio líquido x 100

Como fazer o balanço patrimonial da minha empresa? 

Agora que você já conhece melhor o documento, sua importância e sua estrutura, você já pode se preparar para fazer o balanço patrimonial da sua empresa. 

Antes de tudo, é primordial que você tenha toda a documentação do fluxo financeiro da sua empresa separada. Afinal, sem as informações corretas de absolutamente todas as entradas e saídas de capital do seu negócio, não será possível chegar a números exatos. 

Entre essa documentação, é necessário que você tenha o Relatório Contábil da empresa em mãos. Esse relatório possui todos os registros de movimentações financeiras da empresa.

Com todas as informações, você pode montar o seu balanço patrimonial seguindo o passo a passo abaixo: 

1º passo: reúna todos os ativos e passivos da sua empresa

Comece agrupando todos os seus ativos e passivos, incluindo também a natureza desses lançamentos. Dessa forma, você facilita a análise final e evita erros no seu balanço patrimonial. 

2º passo: concilie os seus saldos contábeis

Faça a conciliação de todos os seus saldos contábeis. Isto é, verifique e compare o saldo que você está inserindo com outros documentos daquela natureza. Nesse momento, utilize livros diários da contabilidade, extratos bancários, folhas de pagamento, entre outros documentos que garantem a origem dos saldos e possam conciliar os valores do seu balanço patrimonial.  

3º passo: ajuste as suas contas patrimoniais

Nesse momento, ajuste e faça uma reclassificação das suas contas patrimoniais – aquelas que representam os bens, obrigações e patrimônio da sua empresa. 

Esses ajustes são necessários para a elaboração do balanço patrimonial, a fim de identificar possíveis mudanças sobre os valores e garantir que o documento final irá demonstrar o momento atual da empresa. 

4º passo: faça os últimos lançamentos e calcule o balanço patrimonial

Hora de lançar as últimas despesas e fazer o cálculo final para descobrir se o seu negócio teve um saldo positivo ou negativo durante esse período de tempo que foi analisado no relatório. 

5º passo: classifique as suas contas patrimoniais

Com o cálculo do seu balanço patrimonial feito, chegou a hora de classificar as suas contas patrimoniais, considerando se a empresa teve prejuízo ou lucro nesse período de tempo analisado. 

Se o saldo for negativo, ele deve ser adicionado a uma conta de prejuízos acumulados pela empresa. Já se o saldo for positivo, os valores devem ser incorporados ao patrimônio do negócio e pode ser aplicado de acordo com os planos do negócio. 

Realize o balanço patrimonial da sua empresa 

Já deu para entender que o balanço patrimonial é bem importante para a saúde financeira do seu negócio e também para o seu desenvolvimento e crescimento no mercado, não é mesmo?

Para garantir que o seu relatório seja feito da melhor maneira possível, recomendamos que você conte com a ajuda de um contador para realizá-lo com mais segurança. Aproveite esse profissional para te ajudar em todas as dúvidas financeiras do seu negócio e use seu balanço patrimonial para fazer com que o seu negócio chegue ainda mais longe! 

Leia também:

O que é pró-labore e como calcular?

NIRE: o que é e como encontrar o seu?

O que é marketplace e como ele facilita a venda online

Americanas Marketplace

Somos a plataforma para você vender seus produtos nas principais lojas virtuais do país: Americanas, Submarino, Shoptime e Americanas Empresas. Aqui seu negócio vai mais longe!

veja ainda:

iso 27001 - destaque

O que é a norma ISO 27001 e como implementar?

A norma ISO 27001: entenda seu papel na gestão da segurança da informação e saiba como implementar um sistema eficaz […]

cnae

CNAE: o que é e como incluir uma atividade econômica no CNPJ

CNAE: o que é e como incluir atividade econômica no seu CNPJ A CNAE é um padrão nacional para identificar […]

contrato de compra e venda - destaque

Contrato de compra e venda: como funciona e quais as garantias?

Conheça o contrato de compra e venda e saiba quando e como usá-lo em suas negociações O contrato de compra e […]