Benchmarking: o que é e como aplicá-lo no seu negócio

por Americanas Marketplace

29 de julho de 2021

O benchmarking estabelece um ponto de comparação para seu negócio, com empresas similares e que atuam no mesmo mercado. Saiba mais!

Você já ouviu falar em benchmarking? A palavra, que vem do inglês, significa ponto de referência. Hoje, no mundo dos negócios, quando falamos em fazer um benchmarking, significa que vamos selecionar uma empresa do mesmo segmento e que está inserida na mesma realidade para ser o nosso referencial.

Tendo este ponto de comparação, fica possível realizar uma análise estratégica entre o que estamos fazendo (ou gostaríamos de fazer) e a concorrência. Assim, podemos identificar boas práticas, as soluções e estruturas que foram adotadas… Até mesmo o que foi realizado, mas não gerou os resultados esperados.

Um ponto muito interessante do benchmarking é que ele pode ser feito em questões e setores bem específicos, como a implementação de uma nova área na empresa. Ou de uma forma abrangente, analisando toda a estrutura do nosso benchmark, ou seja a empresa que vai ser analisada.

Esta estratégia é muito versátil, uma vez que ela pode ser usada em diversos segmentos de mercado, ajudando equipes e empresas a encontrarem a melhor solução para o negócio, ou possível problema. Além de nos situar em como estamos em relação à concorrência. 

Este processo de monitoramento inclui a análise, avaliação e mensuração dos dados coletados. Assim, podemos criar uma verdadeira inteligência de mercado, que vai beneficiar o negócio.

Para isso, é preciso saber quais dados nos interessam e afetam a empresa e o mercado. Ser objetivo é importante! Por isso, precisamos definir os indicadores-chave de performance (KPIs) que vamos analisar e acompanhar. Estes são os pontos que vamos acompanhar na empresa referência. 

Os princípios do benchmarking

Mas não basta apenas selecionar e comparar informações. A seguir, veja os principais princípios éticos utilizados no benchmarking, que vão garantir uma boa execução do processo e resultados. 

  • Legalidade: todos os dados devem ser obtidos de maneira legal. Caso não estejam disponíveis, podemos solicitá-los à empresa. A boa prática já é habitual no mercado. 
  • Troca: da mesma forma que definimos um benchmark, também podemos ser um. Por isso, disponibilize seus dados, se necessário. 
  • Confidencialidade: os dados de um benchmarking têm a finalidade de estudo. Não os utilizemos para outros fins.
  • Preparação: é necessário um estudo prévio de quais dados são necessários e de como serão usados e por que. Isso facilita e acelera o processo, além de demonstrar profissionalismo.

Os tipos de benchmarking

Hoje, no mercado, existem alguns tipos de benchmarking. Entender qual usar, de acordo com as situações e objetivos, ajuda no sucesso da estratégia. Por isso, conheça pelo menos os mais utilizados pelos profissionais:

Competitivo

Nele, utilizamos um (ou mais) concorrente como referencial para entender como estamos no mercado. Alguns dados importantes são o faturamento e o crescimento da empresa.

Genérico

Utilizado entre empresas com processos semelhantes, ainda que não sejam concorrentes. A comparação pode ser válida para encontrar pontos de melhoria, entender processos e estruturas que são universais em empresas, como gestão financeira.

Interno

Aqui, analisamos setores do mesmo empreendimento, assim, fica fácil comparar se a produtividade, por exemplo, está compatível com os resultados obtidos.

De cooperação

Quando duas empresas se utilizam mutuamente como benchmark, mas em setores diferentes. Enquanto uma analisa o setor de marketing, a outra foca em aprender com o setor de relacionamento com o cliente.

benchmarking - interna

Por que fazê-lo?

A aplicação do benchmarking no seu negócio pode trazer incontáveis benefícios, como:

  • Incentivo à cultura da inovação dentro da empresa
  • Estímulo ao autoconhecimento, fazendo que as decisões sejam mais assertivas
  • Direcionamento correto de esforços de times, para que tragam mais resultados
  • Absorver práticas de sucesso de quem já têm mais experiência e conhecimento
  • Identificar novas tendências de mercado (inclusive de mercados distintos) 
  • Ganhar uma base argumentativa para debater estratégias e fundamentar decisões

Lembrando que nunca devemos usar o benchmarking para gerar uma cópia. Seja do setor, do produto, do modelo de negócio ou gestão… A ideia é aprender e absorver conhecimento para melhorar o seu negócio e o mercado. 

Passo a passo para um bom benchmarking

1- Definir o projeto

Nesta primeira etapa, você vai selecionar qual fator será analisado durante o processo.

2 – Selecionar os benchmarks para monitorar

Aqui, vamos entender o seu objetivo, de acordo com o projeto selecionado. Nosso benchmark poderá ser um concorrente, uma empresa de área distinta, uma área dentro da própria empresa… O ideal é selecionarmos entre um e três referenciais.

3 – Estabelecer os indicadores de análise

A dica é criarmos uma tabela comparativa, onde colocaremos os dados de análise. É interessante que tenhamos tanto dados qualitativos, quanto quantitativos. 

4 – Coletar os dados

Existem algumas ferramentas que podem nos ajudar neste trabalho. Algumas são gratuitas, como SEMrush, SimilarWeb e os dados fornecidos pelas plataformas de redes sociais (Facebook, Twitter, Linkedin e Youtube).

5 – Compare e analise as informações

É o momento de fazermos comparações, entendermos as relações entre o nosso negócio e os benchmarks, identificamos o que é relevante…

6 – Defina metas e melhorias

Agora que já temos a comparação, podemos entender os pontos de melhoria no nosso negócio, o que é aplicável e o que não. Nesta etapa, vamos definir as metas, com objetivos e prazos. Além de criarmos um plano de ação.

7 – Monitore o progresso

Plano de ação em prática, não podemos deixar de monitorar nosso progresso. Estamos caminhando para as metas desejadas? É preciso rever nosso plano ou prazos?

Benchmarking: o que não fazer

E para finalizar, que tal falarmos de alguns pontos que não são interessantes na hora de implementar o benchmarking no nosso negócio?

  • Não encaremos a estratégia como algo pontual. Este é um processo constante de observação e análise.
  • Não o façamos sem um objetivo definido e monitorável.
  • Não deixemos de transformar as conclusões do nosso benchmarking em ação. O processo existe por um motivo!
  • Não paremos de medir os KPIs selecionados.

Agora que você já sabe o que é o benchmarking, qual a importância dele para um negócio e como colocá-lo em prática (inclusive o que não se deve fazer), chegou a hora de planejar a implementação desta estratégia. E lembre-se: ela funciona para todos os segmentos, independentemente do tamanho da sua operação!

Entenda como o seu negócio está frente a concorrência e identifique todos os pontos de melhoria na sua empresa!

Leia também:

Google Maps: passo a passo para cadastrar sua loja física

O que é inovação e como fazer algo diferente?

Campanhas de marketing: 4 razões para anunciar em datas comemorativas

Americanas Marketplace

Somos a plataforma para você vender seus produtos nas principais lojas virtuais do país: Americanas, Submarino, Shoptime e Americanas Empresas. Aqui seu negócio vai mais longe!

veja ainda:

grocery - destaque

O que é grocery e como vender na categoria?

A categoria de grocery concentra as vendas de alimentos e bebidas pela internet. Mas a venda destes itens requer atenção […]

coisas para revender - destaque

9 coisas para revender e ganhar dinheiro

Conheça algumas opções de coisas para revender e ter um negócio ainda mais lucrativo  Que existe uma série de coisas […]

vender produtos de limpeza - destaque

7 dicas para você vender produtos de limpeza

Tudo que você precisa saber para vender produtos de limpeza na internet  Comprar online já faz parte da rotina de […]