D2C: o que é esse modelo de venda?

por Americanas Marketplace

14 de novembro de 2022

Vender direto ao consumidor é uma das tendências do mercado de e-commerce e pode ser um diferencial no aumento das suas vendas. Entenda tudo sobre D2C!

Estar sempre de olho nas tendências de mercado é um diferencial pra quem quer sair na frente e saber tudo sobre o mercado de e-commerce. Com o avanço da transformação digital, o D2C, um modelo de venda que coloca o fabricante e o consumidor final em negociação, se expandiu e tem ganhado espaço aqui no Brasil.

A sigla D2C vem do termo em inglês Direct to Consumer, que no bom português significa: “direto ao consumidor”. Quando a gente lembra como eram as vendas e compras de produtos antigamente, fica difícil pensar na possibilidade de o próprio fabricante de um produto vendê-lo aos consumidores finais, né?

Mas agora, esse modelo de negócio é super atual e tem trazido resultados consideráveis. Quer saber mais sobre esse assunto? Leia o artigo até o final!

O que é o modelo D2C e como funciona?

Ao contrário de outros modelos de negócios, como o B2B e o B2C, neste caso, as vendas são realizadas sem intermédios. Ou seja, não há necessidade de uma loja comprar os produtos com um fabricante e por fim, revender ao consumidor final.

Aqui tudo é feito de maneira direta e com isso, os clientes podem buscar comprar os produtos desejados diretamente com o fabricante, basta acessar as plataformas de e-commerce da marca.

De acordo com uma pesquisa realizada pela  Ebit|Nielsen, 50% dos consumidores antes de realizar uma compra, procuram saber se as próprias marcas fabricantes possuem uma plataforma de vendas online. 

E é claro que não dá pra deixar de lembrar que além do avanço da tecnologia, um dos motivos do aumento na procura foi a pandemia e a necessidade de consumir online, já que muitos negócios físicos estavam fechados. A possibilidade de investir em e-commerce chamou a atenção de muitos fabricantes e isso fez com tivessem outro posicionamento de negócio.

Qual o impacto do D2C no e-commerce?

Os dados sobre e-commerce não param de crescer e por isso, muitos empreendedores veem nesse formato de vendas online uma possibilidade de aumentar o seu faturamento. Com o D2C isso também inclui os próprios fabricantes, ou seja, cada vez mais, grandes marcas decidem vender os seus produtos em marketplaces ou e-commerces próprios.

Isso significa, por exemplo, que quando você decide comprar um novo produto para 

cabelos cacheados ou até mesmo comprar uma peça daquela marca de roupa que você já namora há um tempo, não é preciso mais se locomover até uma loja física que revenda esses produtos. 

Toda a negociação é feita entre o fabricante e o consumidor final e por isso, algumas estratégias são diferentes e devem ser levadas em conta. Por exemplo, ao escolher vender em canais digitais, é importante que toda uma operação seja organizada e isso requer um investimento e um planejamento.

Mas ao decidir não vender com intermédio, essas marcas ganham tempo e otimizam processos que antes precisavam passar por fornecedores.

Como seria um negócio D2C?

Ainda seguindo o exemplo da compra do produto para cabelos cacheados, um negócio D2C é quando um fabricante de cosméticos decide comercializar os seus produtos com lojas físicas e virtuais para vender o seu estoque, mas também, decide vender diretamente ao consumidor final.

Isso amplia o alcance e as vendas do negócio.

Vantagens do D2C

Agora que você já sabe o que é o D2C e como funciona, também é importante saber quais são as vantagens desse tipo de modelo de negócio e como sempre, separamos algumas delas pra te ajudar a entender tudo sobre esse universo:

Facilidade

Quando conseguimos entender na prática como o D2C funciona, um dos aspectos mais relevantes é a facilidade do processo de venda, já que é um único caminho a ser percorrido:

O cliente acessa o e-commerce da marca, por exemplo, e compra diretamente com o fabricante, sem precisar passar por uma revendedora, o que não só torna mais simples e ágil o processo, como evita a oscilação dos preços dos produtos e maior competitividade no mercado.

Confiança

Todo mundo conhece aquela pessoa que morre de medo de fazer uma compra online, principalmente em lojas com marketplaces próprios, né? Isso é mais comum do que a gente imagina e muitas vezes, comprar diretamente com o fornecedor, pode ser uma possibilidade para essas pessoas.

Sem falar que existem marcas de peso que acabam atraindo facilmente os consumidores finais, como a Nike, a nível mundial e a Pantys, marca brasileira que já aderiu a esse formato.

Maior proximidade com o público alvo e melhor experiência

Toda marca sabe que conhecer e manter um bom relacionamento com o público-alvo é essencial e com a venda online, se tornou ainda mais fácil analisar os hábitos de quem compra e principalmente, quais são as suas preferências.

Por isso, com a venda direta ao consumidor final, fica mais fácil construir ações de marketing, melhorar a experiência do cliente e garantir que a sua marca seja bem vista no mercado, além de competitiva. 

Mas não é só sobre vendas essa vantagem! A proximidade com o público alvo ajuda a entender como o produto tem performado e quais as possíveis melhorias a serem feitas.

Redução de custos pro cliente final

Como os produtos não precisam passar por fornecedores e intermediários, a compra através do modelo D2C pode garantir uma oferta de preços mais acessíveis para o cliente, já que não há custos adicionais que já não estejam contabilizados na própria produção e operação.

Isso pode ser utilizado inclusive como um argumento pra atrair alguns clientes e pessoas interessadas em consumir diretamente dos fabricantes.

Mas é sempre bom lembrar: vender online requer um planejamento financeiro tanto quanto um negócio físico. É importante planejar e saber onde será necessário investir, como em logística, SAC, marketing e publicidade, por exemplo, tudo isso para garantir que as vendas sejam um sucesso.

Além disso, se você tem canais comerciais parceiros, pode ser mais interessante fazer o contrário: deixar que eles ofereçam o item a um valor mais barato, garantindo uma pulverização dos espaços de aquisição do cliente. Já no seu site, vale apostar na venda de itens exclusivos e na experiência com a marca, mesmo a um preço um pouco mais alto, atraindo um cliente mais qualificado. É algo que as grandes indústrias tendem a fazer para conciliar o relacionamento com parceiros e ampliar a experiência do cliente.

d2c - interna

Controle da marca 

Uma das maiores preocupações de toda marca é o que os consumidores pensam dos seus produtos, isso é super normal, já que a satisfação é uma métrica muito importante quando assunto é cliente, além dos insights que isso gera. Com a venda direta, os feedbacks sobre os itens comprados são recebidos diretamente pelo fabricante e isso é uma vantagem e tanto.

Além disso, a embalagem, a entrega, o atendimento e a logística são próprias, o que dá mais autonomia e controle. E hoje a gente sabe que todo conhecimento acerca do público alvo e seus hábitos de consumo são necessários para melhorar a experiência de compra e personalizar todo o processo.

Existem contras?

A resposta é sim! Assim como existem muitas vantagens de investir em D2C, também existem alguns contras que podem dificultar. 

Um deles é quando um fabricante decide vender em seu próprio e-commerce, mas também mantém suas vendas em outros modelos de negócio. Isso pode ser um problema para alguns dos varejistas que costumavam comprar os produtos para revender em suas lojas, já que isso pode gerar um sentimento de “concorrência”, principalmente quando há preços mais atrativos no modelo D2C.

Por isso, a aposta em aplicar o melhor preço nas varejistas parceiras e deixar o canal D2C focado na experiência com a marca pode ser o melhor caminho. Com isso, a marca consegue ganhar escala nas vendas, em diferentes pontos que ajudam a vender o produto, mas também consegue trabalhar itens exclusivos e uma experiência diferenciada para quem compra pelo D2C, por exemplo.

Além disso, é importante ficar de olho na burocracia e entender se é possível realizar vendas diretas para o consumidor final, caso não seja, é importante fazer as alterações necessárias ou criar um novo CNPJ para atuar no ramo.

É claro que os contras são pequenos perto das vantagens e, por isso, é possível solucionar e criar possibilidades para driblar esses problemas. Algumas delas são:

  • Foque na experiência do cliente;
  • Mantenha a reputação da marca positiva;
  • Tenha atenção ao seu estoque;
  • Construa diferentes estratégias para diferentes modelos de venda;
  • Considere iniciar as vendas em um marketplace: assim você entende melhor o público e quais itens trabalhar nos pontos de venda parceiros e em seu próprio canal;
  • Selecione produtos diferentes para vender diretamente ao consumidor final e os mais pedidos para os revendedores;
  • Tenha uma estrutura de negócio voltada ao D2C;
  • Invista na sua própria operação;
  • Capacite a sua equipe e reestruture os processos e áreas;
  • Tenha uma comunicação transparente, tanto com seus antigos parceiros, quanto com os clientes;
  • Tenha um canal de vendas estruturado para vender online;

Tudo isso vai te ajudar a aproveitar todas as vantagens do D2C e é claro, diminuir o impacto das dificuldades na hora de implementar esse modelo.

Conclusão

Como você percebeu ao longo deste artigo, o modelo D2C pode ajudar a aumentar as vendas e melhorar o posicionamento de uma marca no mercado.

Conhecendo o modelo, como funciona, quais são suas vantagens, contras e possíveis soluções, fica muito mais fácil obter sucesso e garantir novas possibilidades em um ramo que só cresce no Brasil.

Ah, e se precisar: conte com a Americanas Marketplace para abrir as portas das maiores marcas da internet pro seu negócio ir ainda mais longe e te ajudar a vender diretamente para o consumidor final.

Leia também:

Americanas Marketplace: o que é e como vender neste canal?

O que é marketplace e como ele facilita a venda online

O que são vendas B2B e como elas funcionam no marketplace?

Americanas Marketplace

Somos a plataforma para você vender seus produtos nas principais lojas virtuais do país: Americanas, Submarino, Shoptime e Americanas Empresas. Aqui seu negócio vai mais longe!

veja ainda:

grocery - destaque

O que é grocery e como vender na categoria?

A categoria de grocery concentra as vendas de alimentos e bebidas pela internet. Mas a venda destes itens requer atenção […]

coisas para revender - destaque

9 coisas para revender e ganhar dinheiro

Conheça algumas opções de coisas para revender e ter um negócio ainda mais lucrativo  Que existe uma série de coisas […]

vender produtos de limpeza - destaque

7 dicas para você vender produtos de limpeza

Tudo que você precisa saber para vender produtos de limpeza na internet  Comprar online já faz parte da rotina de […]