Empreendedorismo feminino: o que é e como se destacar?

por Americanas Marketplace

29 de agosto de 2022

O empreendedorismo feminino tem ganhado cada vez mais visibilidade no mercado, porém ainda tem um longo percurso a seguir. Saiba mais sobre o tema e a relevância dele para os negócios.  

O empreendedorismo feminino cresce todos os dias no Brasil e no mundo! E falar sobre essa pauta é falar sobre mudança, evolução e principalmente, conquista! 

A partir do momento que temos cada vez mais mulheres abrindo seus próprios negócios, abrimos espaço para um futuro repleto de mulheres em papéis de liderança e damos um empurrãozinho para todas aquelas que ainda sonham em tirar seus negócios do papel, deem o primeiro passo.  

O que é empreendedorismo feminino? 

O termo “empreendedorismo feminino” se refere a todos aqueles negócios idealizados ou liderados por mulheres. 

Assim, o empreendedorismo feminino não fala apenas sobre empreender ou abrir um negócio, mas sim sobre todas as mulheres que estão em um papel de protagonismo em uma empresa, tomando decisões, estabelecendo estratégias e decidindo o rumo de um negócio.

Nos últimos anos, esse movimento ganhou uma relevância tão grande que, em 2014, a Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu o dia 19 de novembro como o Dia do Empreendedorismo Feminino, uma forma de reconhecer e trazer ainda mais visibilidade para a atuação de todas essas mulheres no mercado. 

A iniciativa foi coordenada pela ONU Mulheres, frente da entidade que busca fortalecer e ampliar os esforços mundiais em defesa dos direitos humanos das mulheres, a fim de diminuir a desigualdade de gênero.

Por que falar sobre empreendedorismo feminino? 

A verdade é que não falta espaço para homens e mulheres no mundo dos negócios. Porém, quando ele já é majoritariamente masculino e falta aceitação, credibilidade e incentivo para as mulheres, isso coloca uma série de barreiras para que elas assumam essas posições. 

Hoje, a figura de chefe ou de autoridade ainda é bastante associada aos homens. Assim, o empreendedorismo feminino abre portas para que o mercado se torne cada vez mais justo tanto nas oportunidades que oferece, como nos reconhecimentos que cede às mulheres. 

Empreendedorismo feminino é sobre dar cada vez mais liberdade para as mulheres chegarem ainda mais longe, seja assumindo um cargo de liderança ou começando o próprio negócio. Assim, elas ganham mais visibilidade na sociedade e passam a inspirar e empoderar outras mulheres. 

A atuação da mulher empreendedora no Brasil

2020 trouxe um cenário adverso, que mudou o rumo de muita gente e, principalmente, dos negócios. Essa situação fez com que o número de empreendedoras crescesse cerca de 40% e chegasse a representar quase metade do mercado empreendedor brasileiro, segundo o Instituto Rede Mulher Empreendedora (IRME). 

Empreender é um dos grandes sonhos dos brasileiros! Aliás, o terceiro maior sonho dos brasileiros para ser mais exato, ficando apenas atrás de viajar e ter a casa própria. É o que mostra o relatório Global Entrepreneurship Monitor (GEM) 2021, realizado pelo Sebrae em parceria com o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP). 

Segundo o estudo, o Brasil é o sétimo país com o maior número de empreendedoras, ficando atrás apenas de outras economias como Coreia do Sul, Grécia, Guatemala, Cazaquistão, Polônia e Turquia. Além disso, a pesquisa apontou que o Brasil possui por volta de 52 milhões de empreendedores, sendo que cerca de 30 milhões são mulheres. 

O empreendedorismo feminino no e-commerce

Segundo um estudo do Data Nubank, em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), 72% das mulheres empreendedoras vendem na internet, enquanto apenas 64% dos homens utilizam esse modelo.

Seguindo o mesmo caminho, também são as empreendedoras que vendem mais online. 20% dos negócios liderados por mulheres têm mais de ¾ do faturamento vindo de canais online – aplicativos, redes sociais e outros. 

A possibilidade de vender online e trabalhar em casa acabou impulsionando muita gente a começar seus negócios. Afinal, vendendo online você não precisa lidar com todos os investimentos necessários para abrir um comércio físico, se tornando uma opção muito mais em conta. 

Além disso, ao vender online, você tem ainda mais liberdade para estabelecer a sua própria rotina, seja no âmbito profissional ou pessoal. Aliás, essa autonomia foi um dos grandes impulsionadores do empreendedorismo feminino. 

Mais tempo com a família

Segundo dados da Rede Mulher Empreendedora (RME), 53% das empreendedoras brasileiras têm filhos, sendo que a maioria busca por horários mais flexíveis, que permitam conciliar a vida profissional e pessoal. 

E foi exatamente isso que impulsionou a vontade de empreender em mulheres como as irmãs Misleide e Misléia. Juntas, elas fundaram a loja HMA Brinquedos e começaram a vender seus produtos online por meio da Americanas Marketplace

Foi no empreendedorismo que elas encontraram uma forma de suprir seus desejos: poder trabalhar de casa acompanhando de perto o crescimento dos filhos. 

Isso ressalta uma outra característica do empreendedorismo feminino muito importante: muitas mulheres começam a empreender por necessidade, seja porque querem passar mais tempo com os filhos, porque querem conquistar suas independência financeira ou porque sonham em ter o próprio negócio e, assim, construir uma independência para si.

Alternativa de renda

Dados do relatório GEM 2020, produzido pelo Sebrae em parceria com o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBPQ), apontam que  55% das mulheres brasileiras iniciam seus próprios negócios por necessidade de obter renda.

E foi justamente essa busca por independência que motivou a Natalia Moraes, parceira da Americanas Marketplace e dona da loja Vitrine dos Importados, a criar o próprio negócio e começar a vender online. 

“Iniciei o empreendedorismo aos 20 anos, ao ser demitida e querer construir meu futuro sem depender de ninguém. Resgatei o dinheiro do fundo de garantia e fiz a primeira compra para revender.”, conta a Natalia.  

O caminho pode nem sempre ser simples, mas no final, é extremamente gratificante. E hoje, com 10 anos de empresa formalizada, sede e uma equipe para chamar de sua, a Natalia tem certeza disso, “ao ver tantas pessoas serem beneficiadas com isso, sei que fiz a escolha certa”. 

O empreendedorismo feminino é sobre isso: empoderamento e inspiração! É se identificar e entender que essa história também pode ser sua. 

 empreendedorismo feminino - interna

Iniciativas que impulsionam mulheres! 

Então, mais do que oferecer reconhecimento, o empreendedorismo feminino é sobre promover, impulsionar e dar suporte para que outras mulheres tenham coragem de seguir o caminho que elas desejam para si. 

Nada como ouvir as histórias de alguém que já passou pelas mesmas dúvidas, medos e incertezas que você e que agora diz que tudo vale a pena, não é mesmo? Essa troca pode te inspirar a ter coragem de arriscar e por isso é um dos pilares do empreendedorismo feminino e o que torna esse assunto tão relevante. 

O movimento Mulheres no E-commerce, por exemplo, tem exatamente esse objetivo: oferecer um ambiente de troca e união entre as participantes. O grupo fomenta diversas iniciativas para impulsionar a participação das mulheres no e-commerce – ou onde quer que elas queiram.

Com mais de 7 mil empreendedoras, a iniciativa ainda possibilita o contato dessas mulheres com grandes nomes do setor e proximidade com algumas marcas parceiras. 

E não tem como falar sobre marcas que aceleram o empreendedorismo feminino sem citar sobre o Sebrae Delas, programa que busca desenvolver e profissionalizar micro e pequenas empreendedoras e mulheres que querem abrir o próprio negócio. 

O Sebrae Delas promove diferentes ações, que vão desde eventos de networking, cursos e palestras até conteúdos online que educam e potencializam o conhecimento e as competências de todas as participantes. 

A importância do empreendedorismo feminino

Hoje, as mulheres representam 52% da população brasileira, porém elas ainda são minoria ao observarmos o mundo corporativo. Quando consideramos posições de destaque, por exemplo, elas ocupam apenas 13% das 500 maiores empresas do país. 

Em um cenário onde as oportunidades e o reconhecimento ainda acontecem de forma desigual quando consideramos carreiras de homens e mulheres, o empreendedorismo feminino tem um papel importante na constituição de mercado mais justo e igualitário.

Seja criando oportunidades em cargos de liderança ou fomentando um cenário mais oportuno para as mulheres, o empreendedorismo feminino se tornou fundamental tanto para a sociedade quanto para as próprias empresas e até para a economia do país. 

Impacto na sociedade

Como falamos anteriormente, o empreendedorismo feminino é essencial quando consideramos um cenário com cada vez menos diferenças entre as oportunidades geradas e os reconhecimentos oferecidos para homens e mulheres. 

Quando temos um ambiente que apoia e potencializa as mulheres, damos ainda mais espaço para que novas ideias inovadoras e criativas sejam concebidas. 

Impacto nos negócios 

No cenário corporativo, cargos mais altos são automaticamente relacionados à imagem de poder e autoridade, que por sua vez são concepções quase sempre associadas à figura masculina. Sendo assim, o empreendedorismo feminino quebra esse estigma social e destaca a presença das mulheres no mercado de trabalho e em cargos de liderança. 

A presença de mulheres ainda pode trazer influências bastante positivas para o ambiente de trabalho, uma vez que elas são mais resilientes e têm uma maior habilidade para desenvolver competências e soft skills – que são indispensáveis quando consideramos a gestão de times e empresas.

Dados da Organização Internacional do Trabalho mostram que empresas que monitoram e se preocupam com o impacto da diversidade de gênero na liderança possuem funcionários mais engajados e reportam crescimento de 5% a 20% nos lucros.

Ou seja, a presença feminina nas empresas e nos cargos de liderança é capaz de criar um espaço mais plural e diverso, que impacta positivamente não apenas o ambiente e a sociedade, como o desenvolvimento dos negócios. 

Impacto na economia

Você sabia que o empreendedorismo feminino pode impactar o produto interno bruto? É o que afirma um estudo idealizado pelo Mckinsey Global Institute, que mostrou que a igualdade de gênero nas condições de trabalho pode promover um crescimento de 30% do produto interno bruto (PIB) brasileiro.

Quando temos mais mulheres assumindo cargos de liderança e empreendendo, trazemos ainda mais visibilidade para que outras mulheres sigam os seus passos e comecem a correr atrás de certas posições ou até mesmo tirem seus negócios do papel, o que impacta diretamente o crescimento econômico do país.

Além disso, a mesma pesquisa ainda mostrou que mulheres empreendedoras se dedicam mais aos estudos do que o público masculino, sempre buscando aprimorar sua atuação no mercado, seja dentro de uma empresa ou no próprio negócio. 

Entendeu como o empreendedorismo feminino tem um papel importante? Ainda há diversos obstáculos e desafios a serem encarados, mas quanto mais essa pauta é levantada e mais mulheres se posicionam como líderes e empreendedoras, menor é a desigualdade de gênero no âmbito empresarial.

O empreendedorismo feminino segue crescendo no Brasil e no mundo e não há dúvidas de que juntas, as mulheres são capazes de chegar ainda mais longe!

Leia também:

Liderança feminina: por que mulheres ainda são a minoria no empreendedorismo?

Mulher empreendedora: conheça Maria Elisa Russolo, fundadora da Kumbayá Joias

Economia solidária: criando marcas com propósito que cooperam e vendem

Americanas Marketplace

Somos a plataforma para você vender seus produtos nas principais lojas virtuais do país: Americanas, Submarino, Shoptime e Americanas Empresas. Aqui seu negócio vai mais longe!

veja ainda:

iso 27001 - destaque

O que é a norma ISO 27001 e como implementar?

A norma ISO 27001: entenda seu papel na gestão da segurança da informação e saiba como implementar um sistema eficaz […]

cnae

CNAE: o que é e como incluir uma atividade econômica no CNPJ

CNAE: o que é e como incluir atividade econômica no seu CNPJ A CNAE é um padrão nacional para identificar […]

contrato de compra e venda - destaque

Contrato de compra e venda: como funciona e quais as garantias?

Conheça o contrato de compra e venda e saiba quando e como usá-lo em suas negociações O contrato de compra e […]