O que mais vende na internet?

por Americanas Marketplace

26 de junho de 2023

Saber o que mais vende na internet é fundamental para preparar um estoque atrativo e criar estratégias imbatíveis para o seu negócio. Confira!

Quer começar a vender online? Um dos primeiros passos é escolher os produtos certos para a sua loja, ou seja, saber o que mais vende na internet e investir nos produtos certos! Assim, você aposta em itens que são procurados pelo público, o que aumenta as suas chances de faturar ainda mais. 

A boa notícia é que você pode vender tudo online! Sim, o e-commerce tem oportunidade para lojistas de todos os segmentos. E, neste conteúdo, você vai encontrar não apenas o que mais vende na internet, mas também tendências, categorias em crescimento e informações importantes para fazer seu negócio chegar mais longe dentro do seu segmento escolhido. Vamos lá?

Por que conhecer o que mais vende na internet? 

Conhecer os produtos mais vendidos online possibilita que você desenvolva estratégias certeiras e torne sua loja competitiva desde o começo, mantendo a demanda alta o ano todo.

Porém, essa análise vai além dos itens favoritos do público! Conhecer o que mais vende na internet, é entender o comércio eletrônico e o comportamento de compra dos clientes – que irá influenciar diretamente em como você atua com o seu negócio! 

Ou seja, você vai conhecer o que mais vende na internet para:

Entender as tendências do mercado

Conhecer o mercado é o primeiro passo para começar um negócio, principalmente quando consideramos as vendas na internet – que possibilitam que você comercialize seus produtos em diferentes canais: marketplaces, redes sociais, lojas próprias e outras plataformas. 

Quando você entende o mercado, você entende como a venda de cada produto pode ser potencializada pelos canais de compra. Por exemplo, se você deseja vender roupas, as redes sociais com certeza vão ser grandes aliadas do seu negócio na hora de divulgar as peças e criar conteúdos inspiracionais. Já se você deseja vender bebidas e alimentos, os marketplaces podem ser uma opção de alta visibilidade e alcance para a sua loja. 

E essas tendências estão completamente relacionadas ao comportamento de compra dos clientes, que realizam suas aquisições de diferentes formas dentro do universo online. 

Compreender a jornada de compra dos clientes 

Não basta saber o que mais vende na internet, é preciso também conhecer seu público e como ele consome estes produtos.

No comércio físico, a jornada do cliente – ou seja, o caminho que ele percorre desde o primeiro contato com a sua empresa até o momento final da compra – acontece de forma bem simples. Porém, na internet, o cliente é impactado de diferentes formas e em diversos momentos, o que faz com que a sua jornada não seja linear ou aconteça em um único canal de compra. 

O seu cliente pode chegar até a sua loja por uma rede social, um anúncio, uma indicação,  pesquisando por ela em uma plataforma de busca ou pesquisando por um produto específico dentro de um marketplace, por exemplo. 

Conhecer a jornada de compra percorrida pelos seus consumidores é essencial para que você entenda onde eles estão e como e quando eles querem ser impactados. Dessa forma, você toma decisões mais estratégicas e assertivas no seu negócio, conseguindo atender as necessidades e expectativas do seu público. 

Saber posicionar o seu negócio

Com todas as informações sobre o que mais vende online, as tendências do e-commerce e os comportamentos de compra do seu público, ficará ainda mais fácil saber exatamente como posicionar a sua loja online e onde você deve colocar os seus investimentos. 

Dessa forma, você começa o seu negócio com o pé direito, apostando nas melhores estratégias para alcançar mais clientes e impulsionar suas vendas. 

Aproveite o potencial do e-commerce

Como você pode ver, conhecer o que mais vende na internet trará os primeiros insights para você escolher o sortimento da sua loja. Agora, o próximo passo é conhecer o mercado online e as categorias que apresentam uma maior tendência de crescimento. 

De acordo com a 47ª edição do relatório Webshoppers, realizado pela Ebit | Nielsen, em 2022, as vendas do e-commerce atingiram um novo recorde de faturamento, somando R$ 262,7 bilhões, e começaram a apresentar sinais de estabilização, uma vez que, o crescimento foi de 1,6% em comparação com o ano anterior. 

Apesar disso, o número de novos consumidores online segue crescendo e em 2022 aumentou 24%, chegando ao total de 108,9 milhões de consumidores. Entendeu o tamanho do público que o seu negócio pode impactar? 

Posicionando o seu negócio no digital

Quando o e-commerce começou a ganhar força por necessidade – impulsionado pelo distanciamento social em consequência da pandemia – houve muita dúvida sobre como o consumidor iria lidar com as compras à distância. 

Comprar um produto sem conhecê-lo ou uma roupa sem experimentá-la parecia loucura. Porém, com o avanço desse modelo de venda, a digitalização dos processos de compra e a chegada de novas tecnologias, esse processo se tornou cada vez mais simples e, hoje, os consumidores já estão mais do que acostumados com as compras online. 

Segundo a pesquisa E-commerce Trends 2023 da Opinion Box e Octadesk, 77% dos consumidores afirmam que já compraram online alguns produtos que, até algum tempo atrás, não imaginavam comprar nesse formato. 

Isso porque os consumidores foram se acostumando com as compras online e se tornando mais exigentes com os lojistas, que, ao mesmo tempo, foram adaptando e aprimorando seus negócios para atender as necessidades do público. Por isso, hoje, dizemos que não tem um produto que não possa ser vendido online! 

Todos os segmentos têm seu espaço e seu público, basta você entender as tendências e adaptar o seu negócio.  Continue lendo e confira quais são os segmentos com maior potencial de crescimento no e-commerce e algumas melhores práticas para vender online. 

O que mais vende na internet? 

Algumas categorias já caíram no gosto dos brasileiros e se tornaram as queridinhas quando o assunto é comprar online. Outras ainda causam receio em algumas pessoas, mas, com as estratégias certas, é possível somar vendas. 

A pesquisa “E-commerce Trends 2023” analisou as categorias de compra que mais se destacaram para os consumidores nos últimos seis meses e como eles se comportam em relação a cada segmento. Confira cada uma delas: 

1 – Roupas 

Em primeiro lugar na pesquisa “E-commerce Trends 2023”, desenvolvida pela Octadesk e a Opinion Box, que lista as tendências que prometem movimentar o universo das vendas online neste ano, a categoria de roupas quebra uma expectativa antiga: a de que o público não compra itens de moda pela internet por não poder experimentá-los. 

Segundo a pesquisa, 60% dos consumidores compraram roupas no e-commerce nos últimos 6 meses. Destacando a categoria como a mais comprada pelo público durante o período. 

Sendo assim, se você tem familiaridade com essa categoria, vender roupas na internet pode ser uma opção simples e lucrativa para iniciar o seu negócio. Mas lembre-se: em um e-commerce de moda, é preciso estar sempre atento às tendências e à sazonalidade dos lançamentos. 

Apesar de ser uma das categorias que mais vendem na internet, ao criar uma loja de roupas, é importante que você invista em diferentes canais de atuação e principalmente nas redes sociais para criar conteúdos inspiracionais, gerando uma forte sensação de desejo pelos itens da sua loja e incentivando a compra. 

Confira também 13 dicas para quem quer começar a vender roupas online

2 – Eletrônicos

A categoria de Eletrônicos apareceu em segundo lugar na pesquisa “E-commerce Trends 2023” como a categoria mais comprada pelos consumidores, sendo que 49% dos entrevistados afirmaram que adquiriram eletrônicos via lojas online nos últimos seis meses.

Quando consideramos o que mais vende na internet, os eletrônicos, com certeza, estão em destaque: ela foi a quinta categoria que mais cresceu em 2022, de acordo com o relatório Webshoppers.

A análise ainda mostrou que a categoria de eletrônicos apresentou um crescimento de 9,8% nas vendas em 2022, em comparação com o ano anterior. E tem mais: o segmento somou um dos maiores tickets médios de 2022, com um total de R$ 1.327. 

Muitos eletrônicos possuem um ticket médio mais alto, o que influencia diretamente nesses resultados e também ressalta o cuidado necessário na hora de investir nesse segmento. Também é importante lembrar que a categoria é bastante diversa e pode integrar produtos como: caixas de som, vídeo games, smartwatches, celulares e outros acessórios.  

Além disso, quando consideramos a categoria de eletrônicos, os produtos importados ganham destaque. Então, apostar na importação pode ser uma solução interessante para diversificar o sortimento da sua loja e conquistar mais consumidores. 

Saiba mais sobre como encontrar ou se tornar um importador de eletrônicos, clicando no link. 

3 – Calçados

A ideia de que as pessoas não comprariam calçados no e-commerce, pois não conseguiram experimentá-los não é uma verdade: a pesquisa da Opinion Box com a Octadesk mostrou que 47% dos consumidores compraram sapatos pela internet ao longo dos últimos seis meses. 

A categoria ainda traz um pouco em certeza para algumas pessoas – 12% afirmaram, na pesquisa, que não comprariam calçados online –, porém, analisando o total desses números, é possível ver que há um grande potencial nessa categoria, basta buscar as melhores estratégias do digital para vender sapatos online.

Um grande diferencial da categoria de calçados – e também de moda como um todo – é que o público é muito diversificado, trazendo várias categorias e subcategorias de produtos para você investir.

O seu sortimento pode conter calçados para os públicos feminino, masculino ou infantil, trabalhar de forma sazonal ou até como foco em um tipo, ou material específico. Afinal, há uma infinidade de modelos de sapatos para você vender!

Além disso, você pode buscar novas tecnologias ou até investir em um atendimento ao cliente diferenciado para facilitar e potencializar a experiência de compra dos seus consumidores. Dessa forma, eles têm menos dúvidas na hora de escolher o melhor tamanho ou modelo de calçado e tomam uma decisão de compra ainda mais assertiva. 

4 – Eletrodomésticos

Comprar eletrodomésticos no e-commerce se tornou uma forma mais fácil e rápida de garantir esses produtos sem a burocracia de ir até uma loja física e analisar diferentes modelos. 

Não é à toa que a pesquisa “E-commerce Trends 2023” mostrou que 42% dos consumidores compraram eletrodomésticos online nos últimos seis meses. Com a conveniência das vendas online, os consumidores conseguem comprar esses produtos desejados sem sair de casa e ainda recebê-los em poucos dias. 

Quando consideramos as vendas online, o departamento de eletrodomésticos é um dos que mais se destacam no mercado brasileiro. Segundo a 46ª edição do relatório Webshoppers, durante o 1º semestre de 2022, a categoria de eletrodomésticos concentrou 19% das vendas totais do e-commerce brasileiro. 

Sendo assim, vender ou revender eletrodomésticos pode ser uma excelente alternativa para você que deseja trabalhar com o que mais vende na internet. Para começar o seu negócio, é importante que você se atente a alguns pontos como: a qualidade dos produtos, a precificação deles, o atendimento ao cliente e, principalmente, a logística. 

Eletrodomésticos, muitas vezes, são produtos grandes e pesados, ou seja, eles exigem grandes espaços para armazenamento e muito cuidado e atenção no processo de entrega, garantindo que o produto chegue em perfeitas condições até os clientes.

Confira também 5 passos para você vender ar condicionado pela internet

5 – Beleza 

Você sabia que o Brasil ocupa a 4ª colocação no ranking dos maiores consumidores de produtos de beleza no mundo, perdendo apenas para EUA, China e Japão? (EUROMONITOR).

O mercado de Beleza e Cosméticos têm um sortimento enorme e muito potencial de faturamento quando consideramos o comércio eletrônico. Na pesquisa realizada pela Opinion Box com a Octadesk, 41% dos consumidores afirmaram que compraram produtos de beleza pela internet nos últimos seis meses. 

Enquanto isso, a 47ª edição da pesquisa Webshoppers mostrou que, em 2022, a categoria de Perfumaria e Cosméticos teve um crescimento de 13,4% nas vendas, em comparação com o ano anterior. 

A questão do autocuidado ganhou força na pandemia e, aparentemente, é uma tendência que veio para ficar. Sendo assim, produtos para cuidado com os cabelos, com a pele, unhas, maquiagens e perfumes têm tudo para seguir no carrinho de compras dos brasileiros. 

A categoria está cheia de oportunidades para quem quer começar a vender online, basta analisar o melhor nicho de produto para você – aquele com a qual você mais se identifica – e claro, buscar bons fornecedores para garantir produtos de qualidade. 

Vender perfumes, por exemplo, pode parecer complicado, afinal, como o consumidor irá comprar sem sentir as fragrâncias? Mas a verdade é que os clientes estão sempre em busca dos seus produtos favoritos, ou seja, aquele perfume que eles amam e precisam repor na prateleira… E a internet é o local ideal para buscar essa recompra! 

Com os consumidores cada vez mais acostumados com o e-commerce, vender produtos de beleza online ficou cada vez mais simples. Basta ter atenção às informações essenciais que os seus clientes precisam ter para tomar uma decisão de compra. Principalmente quando consideramos vender maquiagem, por exemplo, onde existem diferentes cores e tonalidades de produtos. 

Quer apostar nessa categoria? Confira mais dicas para vender Beleza e Perfumaria e como se tornar distribuidora de cosméticos no atacado

o que mais vende na internet - interna

6 – Alimentos

Comprar alimentos ou produtos de mercado pela internet parecia loucura há alguns anos, mas agora, o setor já é um dos que mais crescem no comércio eletrônico e que mais vende na internet. 

Na pesquisa “E-commerce Trends 2023”, 40% dos consumidores afirmaram que compraram alimentos pela internet nos últimos seis meses. Ao mesmo tempo, o relatório Webshoppers mostrou que a categoria de Alimentos e Bebidas cresceu 14,3% em 2022 em comparação com 2021. Entendeu o alto potencial dessa categoria? 

O crescimento da venda de alimentos online abre portas tanto para os novos lojistas quanto para os donos de mercados e lojas físicas, que podem alcançar ainda mais clientes e vender mais digitalizando seus negócios. 

À primeira vista, a categoria de grocery, que contempla as vendas de alimentos e bebidas na internet, tem alguns desafios, principalmente quando consideramos o sortimento: alimentos que possuem um período curto de frescor e produtos que exigem um certo estado de conservação. 

Porém, basta pensar bem nos seus processos logísticos, como tempo de envio, horário de saída e entrega e formas de conservação ao longo do trajeto, para desviar desses obstáculos. 

Para vender alimentos na internet, a melhor opção é contar com um parceiro de vendas para impulsionar sua operação e realizá-la da melhor maneira. Hoje, os marketplaces já abrem as portas para mercados e lojas de alimentos e bebidas anunciarem seus produtos na plataforma e chegarem mais longe. Saiba mais sobre essa solução clicando aqui

7 – Itens de saúde 

E falando na digitalização de negócios físicos, as farmácias foram outro modelo de negócio que precisou repensar suas operações e buscar maneiras de atender os clientes em suas casas. 

Na análise da Opinion Box em parceria com a Octadesk, 35% dos consumidores afirmaram que compraram medicamentos pela internet nos últimos seis meses. E quando o assunto é a categoria de saída, as vendas não param: o segmento foi o que apresentou o maior crescimento de vendas em 2022, com uma alta de 16,6% em comparação com o ano anterior. (Ebit | Nielsen)

Lembre-se: a venda de itens de saúde pode ir além dos medicamentos, atendendo também suplementos, vitaminas, acessórios hospitalares, álcool em gel, itens de higiene e mais. 

Vendendo esses produtos online, você consegue atender os consumidores que buscam mais conveniência e comodidade ao adquirir esses itens, comprando em poucos cliques e sem sair de casa. 

8 – Livros

A categoria de livros é uma que foi fortemente impactada pela pandemia, porém, de uma forma bastante positiva. Ao mesmo tempo em que as livrarias se encontravam diante de um momento de digitalização e adaptação para as vendas em e-commerce, milhões de pessoas no mundo inteiro resgataram o gosto pela leitura diante do isolamento social. 

Nos anos seguintes, a categoria seguiu somando recordes de vendas no comércio eletrônico. Em 2022, foram vendidos 58,61 milhões de livros no Brasil, 1,7 milhão a mais do que em 2021, de acordo com a pesquisa Painel do Varejo de Livros no Brasil, realizada pela Nielsen Bookscan e divulgada pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL).

No total, o faturamento do mercado editorial brasileiro aumentou 8,33% em 2022. Ou seja, vender livros na internet pode ser a oportunidade que você estava buscando para multiplicar os seus ganhos. 

A pesquisa da Opinion Box com a Octadesk mostrou que 30% dos consumidores compraram livros pela internet nos últimos seis meses. E a melhor parte é que esse segmento também é extremamente versátil, uma vez que, você pode vender livros para pessoas de todas as idades, gêneros e dos mais diversos interesses. 

Para começar o seu negócio com ainda mais facilidade e alta visibilidade, você pode vender livros em um marketplace. Assim, você aposta em um canal pronto para as vendas e que já possui expertise, tecnologia e uma base de clientes consolidada para você aumentar ainda mais o potencial da sua loja de livros. 

9 – Artigos esportivos

Segundo a pesquisa, “E-commerce Trends 2023”, 25% dos consumidores afirmaram que compraram artigos esportivos pela internet nos últimos seis meses. Destacando uma outra oportunidade de negócio para você que busca trabalhar com o que mais vende na internet. 

A alta venda de artigos esportivos também é um reflexo das transformações trazidas pela pandemia. Naquele período, muitas pessoas começaram a buscar novas práticas e hobbies como uma forma de distração, e não demorou muito para que a prática de exercícios físicos deixasse de ser ter uma finalidade estética. 

De acordo com uma análise do Google, entre as principais razões para os brasileiros praticarem exercícios físicos estão: saúde e bem-estar físico (50%), saúde e bem-estar mental ou emocional (40%) e diversão ou hobby (16%). Logo, esses novos hábitos geraram um forte impacto no comércio eletrônico, onde as vendas de itens de esporte alavancou. 

Se esta é uma categoria com a qual você se identifica, pode ser uma ótima opção para você começar o seu negócio. Basta você identificar um nicho de produto para a sua loja – você pode vender acessórios esportivos, roupas, artigos de lazer e até produtos como pesos e anilhas para academia – e encontrar bons fornecedores para conseguir um sortimento de qualidade e preços atrativos. 

10 – Bebidas

Assim como os alimentos, a venda de bebidas online cresceu expressivamente nos últimos anos. De acordo com a 47ª edição do relatório Webshoppers, a categoria de Alimentos e Bebidas foi a que mais cresceu em número de pedidos em 2022, apresentando uma alta de 82,8% em comparação com o ano anterior.

Já a pesquisa da Opinion Box com a Octadesk mostrou que 21% dos consumidores brasileiros compraram bebidas no comércio eletrônico nos últimos seis meses, reforçando o potencial de vendas dessa categoria. 

Com as lojas online de bebidas, os clientes têm ainda mais comodidade para comprar e receber seus produtos. Além de otimizar o tempo, ao comprar pela internet, eles ainda conseguem comparar preços mais facilmente, encontrando as melhores ofertas e descontos de forma simples e rápida. 

Quer apostar nessa categoria? Você pode vender bebidas alcoólicas ou não alcoólicas e até investir em alguns acessórios e complementos, como canudos, copos plásticos, temperos e outros produtos.  

Montar kits de bebidas também é uma ótima estratégia para impulsionar as vendas dessa categoria. Assim, você aumenta o ticket médio dos pedidos, melhora o valor do frete e gera mais vendas. 

Confira também como iniciar a venda de bebidas pela internet.

11 – Itens de decoração

Os itens de decoração também estão entre os itens que mais vendem na internet. Segundo o levantamento da Opinion Box com a Ocktadesk, 21% dos consumidores compraram produtos dessa categoria nos últimos seis meses. 

A pandemia mudou diversos hábitos da população e um dos principais foi a maneira como lidamos com as nossas casas. Mesmo após o período de isolamento, diversas pessoas continuam buscando formas de deixar seus lares cada vez melhores, seja fazendo uma grande reforma ou apenas decorando alguns cômodos. 

A pesquisa Webshoppers da Ebit | Nielsen mostrou que a categoria de Casa e Decoração apresentou um crescimento de 5,8% nas vendas em 2022, em comparação com o ano anterior. 

E essa é outra categoria que possui um sortimento bastante diverso – abrange desde sofá, mesas e cadeiras, até itens de cama, mesa e banho e jogos de panelas – então, caso você queira começar a vender itens de decoração, o primeiro passo será definir um nicho de produtos. 

No caso, você também pode optar por ter uma loja mais segmentada. Por exemplo, você pode vender cortinas e montar um estoque com diferentes modelos, tamanhos e materiais, atendendo diversas demandas dessa categoria específica. 

12 – Brinquedos

A venda de brinquedos segue crescendo no Brasil! Em 2022, o mercado de brinquedos apresentou uma alta de 15% no valor das vendas e somou 19% a mais de unidades vendidas em comparação com o ano anterior. (The NPD Group)

Apesar de parecer um mercado bem específico, um dos grandes motivadores desse crescimento constante da categoria de brinquedos é a abundância do segmento, que atende clientes de todas as idades e gêneros. Afinal, não são só as crianças que estão interessadas nos brinquedos! 

A categoria também considera a venda de bonecos e outros itens colecionáveis, jogos e figuras de ação. Ou seja, brinquedos que atendem crianças, jovens e adultos. 

De acordo com a pesquisa “E-commerce Trends 2023”, 21% dos consumidores compraram brinquedos no comércio eletrônico nos últimos seis meses. Quer criar uma loja e atender esse público? Você pode começar buscando os brinquedos mais vendidos e criar um sortimento certeiro e estratégico para o seu negócio.  

É muito importante que os lojistas dessa categoria estejam sempre atentos aos lançamentos de produtos e às datas comemorativas e temáticas. Prepare o marketing, o seu estoque e boas vendas! 

Veja também como encontrar ou se tornar uma distribuidora de brinquedos

13 – Móveis

Cerca de 50% dos brasileiros passaram a dar mais valor às suas casas com a chegada da pandemia. Por conta do isolamento social, eles passaram a se sentir mais conectados a esses ambientes, o que despertou o interesse por mudanças e melhorias nos lares. (Google)

A pesquisa do Google ainda confirmou que 57% dos entrevistados afirmaram que seguiram dando prioridade e investindo em suas casas mesmo após a pandemia. Com essa vontade de mudar e os hábitos de comprar no comércio eletrônico crescendo cada vez mais, não demorou muito para o segmento de móveis sentir o impacto no e-commerce. 

Conforme o levantamento do relatório Webshoppers, a categoria de Casa e Decoração ficou em segundo lugar entre os segmentos com maior número de pedidos, concentrando cerca de 12% do total de pedidos feitos no e-commerce brasileiros em 2022. 

Já a análise da Opinion Box com a Octadesk mostrou que 20% dos consumidores compraram móveis pela internet nos últimos seis meses. Ao mesmo tempo, 15% afirmaram que não comprariam itens dessa categoria online. 

Esses dados mostram o potencial dessa categoria e também o seu grande desafio: oferecer uma experiência de compra inclusiva e satisfatória para os clientes. Afinal, ao comprar móveis, muitos clientes gostam de ter contato com o produto para conhecer o tamanho, dimensão, material, entre outras especificidades dos itens. 

Por isso, ao vender móveis online, é preciso ter muita atenção ao cadastro do produto, oferecendo o máximo de detalhes possíveis sobre o produto. Informações como cor e tamanho são o básico quando consideramos essa categoria e dados como material e resistência são indispensáveis para convencer o seu cliente a finalizar a compra. 

Investir em um atendimento personalizado pode ser um grande diferencial para a sua loja. Dessa forma, os consumidores conseguem trocar informações em tempo real com um atendente e tirar todas as dúvidas que possam surgir sobre o produto. 

Contar com um canal de venda consolidado e pronto para as vendas também pode potencializar o seu negócio e fazer com que você conquiste ainda mais vendas. Confira 4 razões para as fabricantes de móveis venderem no marketplace

14 – Artigos para pets

Você sabia que na pandemia as vendas do segmento de pets cresceram 108% no e-commerce? (Adventures)

A categoria gira em torno de produtos para cachorros e gatos, principalmente, mas também pode abranger itens para peixes, aves, roedores e equinos. E além das rações e medicamentos, o sortimento de pets conta com brinquedos, itens de higiene, tapetes, para cães, areia, para gatos, e outros produtos.

No levantamento realizado pela Opinion Box e Octadesk, 19% dos consumidores confirmaram que realizaram compras online de produtos para pets nos últimos seis meses. No total, o Brasil conta com cerca de 150 milhões de animais de estimação, colocando o país em terceiro lugar no ranking de países com o maior número de pets. (Instituto Pet Brasil)

Quer aproveitar o grande potencial desse segmento e vender itens de pet shop pela internet? Primeiro, crie um bom portfólio de produtos e busque fornecedores de qualidade para garantir um sortimento variado e interessante para o seu público – pesquise tendências interessantes sobre esse mercado, como produtos que otimizem a rotina dos donos e tragam benefícios para os pets. 

Como próximo passo, entenda qual é o melhor canal de atuação para o seu negócio, onde você consegue alcançar e impactar o seu público da melhor forma possível, oferecendo uma experiência de compra diferenciada. 

15 – Artigos infantis e para bebês

Os artigos infantis e para bebês compõem um segmento em alta no e-commerce. Em 2022, essa categoria apresentou um crescimento de quase 4% nas vendas em comparação com o ano anterior. 

Já a pesquisa realizada pela Opinion Box com a Octadesk destacou que 14% dos consumidores compraram artigos infantis e para bebês via lojas online nos últimos seis meses. 

Apesar de ter um público bem específico, as lojas de artigos infantis podem ter um sortimento bem variado, atendendo desde recém nascidos até crianças e vendendo desde roupas e fraldas até brinquedos e itens do dia a dia, como mamadeiras, chupetas, entre outros. 

Para impulsionar suas vendas de artigos infantis e para bebês, você pode anunciar seus produtos em um marketplace, que são plataformas com grandes marcas de e-commerce por trás. Dessa forma, você dá mais visibilidade e alcance para a sua loja e realiza vendas para clientes em todas as regiões do país de forma fácil e rápida. 

Viu como entender o que mais vende na internet pode impulsionar o seu negócio? Agora você pode começar o seu negócio com um sortimento mais assertivo e alavancar a sua jornada empreendedora. Boas vendas!

Leia também:

O que é marketplace e como ele facilita a venda online

Revender produtos: 7 dicas para começar

10 dicas pra você trabalhar pela internet e se destacar

Americanas Marketplace

Somos a plataforma para você vender seus produtos nas principais lojas virtuais do país: Americanas, Submarino, Shoptime e Americanas Empresas. Aqui seu negócio vai mais longe!

veja ainda:

coisas para revender - destaque

9 coisas para revender e ganhar dinheiro

Conheça algumas opções de coisas para revender e ter um negócio ainda mais lucrativo  Que existe uma série de coisas […]

melhor horário para postar reels no instagram - destaque

Qual o melhor horário para postar reels no Instagram?

Entender qual é o melhor horário para postar reels no Instagram é essencial para criar uma estratégia mais certeira na […]

ctr - destaque

O que é CTR e como aumentar a taxa de cliques? 

CTR, ou Taxa de Clique, é uma métrica crucial para avaliar o desempenho de campanhas online e otimizar sua estratégia […]