Revenda de produtos: dicas e 5 passos para começar

por Americanas Marketplace

15 de dezembro de 2022

Trabalhar com revenda de produtos pode ser um modelo simples para quem quer começar a vender no e-commerce ou diversificar o sortimento 

A revenda de produtos é uma ótima opção de negócio para quem quer começar a empreender sem necessariamente produzir as mercadorias, sendo uma porta de entrada lucrativa para o e-commerce. 

E se você já tem uma loja online, revender produtos também pode ser uma opção para você, sendo uma forma mais simples de diversificar seu sortimento, já que nesse caso você não vai precisar produzir ou fabricar mais itens. 

Quer saber mais sobre esse modelo de negócio? Separamos todas as informações essenciais que você precisa ficar por dentro antes de começar a sua revenda de produtos. Confira. 

Como funciona a revenda de produtos?

Em uma operação de revenda de produtos, o revendedor trabalha como um “intermediário”, uma vez que, ele compra os itens diretamente com o fabricante ou fornecedor e vende para os clientes no seu negócio. 

Esse processo acaba sendo mais simples do que uma loja normal que produz os produtos. Porém, ele ainda exige atenção e dedicação para garantir que a operação flua.

Pontos de atenção para a revenda de produtos 

Apesar da operação de revenda ser mais simples, ainda é necessário ter atenção para assegurar que a sua loja não terá problemas no futuro. 

Se você montar uma loja para revender os produtos, fique atento às documentações exigidas para a operação. Além disso, em alguns casos, para comprar os produtos com fabricantes e fornecedores, é necessário ter um CNPJ

E falando em fornecedores, é muito importante que você trabalhe com pessoas de confiança, garantindo as melhores condições de compra e melhores negociações – o que também impacta diretamente a precificação dos seus produtos e a sua margem de lucro. 

Além disso, o revendedor deve comprar os produtos, construir um estoque próprio e garantir um canal de vendas sólido – seja online ou físico – para realizar as transações com os clientes de forma segura e eficiente.  

Por que trabalhar com a revenda de produtos?  

Já deu para entender que a revenda é um modelo de negócio mais simples e ágil, já que não há a necessidade de passar pelo processo de fabricação dos produtos, não é mesmo? E com uma operação atenta aos pontos que mostramos acima, é possível aproveitar todos os benefícios da revenda de produtos da melhor forma possível, como:

Venda como preferir 

Como revendedor, você tem total liberdade para escolher o canal de venda da sua preferência, podendo abrir um comércio físico, um e-commerce próprio ou até mesmo começar a vender sem pagar nada utilizando um marketplace. 

Sortimento variado

Como revendedor, você não precisa se limitar a uma única categoria de vendas. Negocie com diferentes fornecedores e garanta produtos que você sabe que há demanda no mercado. Um sortimento variado pode levar suas vendas ainda mais longe. 

Controle da margem de lucro 

Como revendedor, você define a precificação dos seus produtos e, consequentemente, a sua margem de lucro. Claro que esse ponto irá variar de acordo com as negociações que você fizer com os seus fornecedores para garantir um lucro maior nas suas vendas. 

Tipos de revenda de produtos

A revenda se tornou um forte negócio no mercado, por conta disso, hoje, existem diferentes formas de compra de produtos para revenda. Entenda como funciona cada tipo e qual se encaixa melhor com a sua ideia de negócio: 

Revenda de produtos por consignação 

Esse modelo foca na revenda de produtos fornecidos diretamente pelos fornecedores, sendo uma ótima opção para quem quer começar no ramo ou para quem ainda não tem caixa para fazer uma grande compra de produtos e montar estoque. 

Na revenda por consignação, não é necessário fazer nenhum tipo de investimento ou pagar pelos produtos com antecedência. O revendedor fica responsável pela venda dos produtos e recebe uma comissão por isso. Tudo é acordado previamente com o fornecedor, então é um processo que precisa ser bem esclarecido entre ambas as partes para garantir confiabilidade e eficácia na operação. 

Revenda de produtos importados 

As operações de revenda de produtos importados são muito comuns, principalmente por conta das vantagens que esse ramo traz: mercadorias com valores mais em conta e sortimento diversificado, com menos concorrência. 

O processo de importação exige alguns cuidados, principalmente quando consideramos a negociação com fornecedores, desembaraço aduaneiro e transporte. Porém, ele pode ser mais simples do que você imagina.

Atualmente, existem até empresas especializadas nesses procedimentos, como a ST Importações, que possui um time de especialistas para auxiliar os clientes em todas as etapas do processo. 

Ou seja, com as informações corretas sobre todos os procedimentos legais envolvidos na importação e todas as documentações necessárias, é possível revender produtos importados facilmente. 

Revenda de produtos por catálogo 

Muito utilizado pelas empresas de cosméticos no Brasil, a revenda de produtos por catálogo é outro modelo que não exige investimento inicial, se tornando uma opção vantajosa para começar o seu negócio e adquirir uma renda extra. 

Algumas empresas que atuam com a revenda de produtos por catálogo pedem que os revendedores comprem um kit inicial ou até uma quantia de produtos, porém, ainda assim, é um valor consideravelmente baixo. 

Nesse modelo, você trabalha apenas com o catálogo em mãos, mostrando as opções para os clientes, e o lucro é contabilizado de acordo com a quantidade de vendas realizadas. 

Dropshipping X revenda de produtos 

O dropshipping pode até ser considerado um tipo de revenda de produtos, porém, o seu funcionamento possui algumas particularidades, já que nele o revendedor não tem contato com os produtos e qualquer custo para montar um estoque. 

Funciona dessa forma: o lojista cria a loja e anuncia os produtos. Quando um cliente realiza uma compra, a loja envia o pedido para o fabricante ou fornecedor, que então será responsável por enviar o produto pro cliente – e por todo o processo pós-venda, como separação, packing e entrega dos itens até. 

Ou seja, no dropshipping, existe uma parceria estabelecida entre o lojista e o fabricante, e a margem de lucro depende do valor a mais que foi pago pelo produto. 

Esse tipo de operação é bem parecido com os modelos mais tradicionais de revenda, e pode ser uma opção interessante para quem quer começar no ramo sem necessariamente montar um estoque e ter todas as responsabilidades de entrega dos produtos.  Por outro lado, ela pode ser também uma barreira caso você opte por um modelo de vendas onde o estoque é necessário, como a maioria dos marketplaces recomenda.

revenda - interna

5 passos para começar a revender produtos

Quer começar o seu negócio de revenda de produtos? Para te ajudar nessa jornada, separamos algumas dicas e passos importantes para você tirar sua ideia do papel e começar a operação com tudo. Confira. 

1 – Escolha um produto para revender 

O primeiro passo é escolher os produtos com os quais você quer trabalhar. Afinal, quais itens você vai revender na sua loja?

Nesse momento, é importante que você considere produtos que você conhece e tem mais familiaridade, dessa forma, você conseguirá avaliar melhor a qualidade dos produtos e até negociar melhor com os fornecedores.

Outra dica que pode te ajudar nessa etapa é fazer uma boa pesquisa de mercado. Essa análise pode te ajudar tanto no momento da decisão – permitindo que você entenda as categorias de produto que estão em alta no momento – quanto nas suas estratégias de venda  – se você já escolheu os produtos, a pesquisa pode mostrar quais são os lançamentos mais aguardados desse segmento, a margem de preço praticada no mercado, o público-alvo, entre outros detalhes. 

2 – Busque fornecedores de confiança

Quando você conhece bem a sua categoria de vendas e os seus produtos, buscar fornecedores para o seu negócio fica ainda mais fácil. 

Porém, antes de fechar com fornecedores, não se esqueça: entenda que tipo de revenda você está buscando fazer e busque um parceiro que atenda as necessidades do seu modelo de negócio. Assim, todas as expectativas da parceria ficam claras para os dois. 

Depois, faça uma pesquisa sobre os fornecedores que você encontrar: reputação, confiabilidade, qualidade dos produtos, entre outros detalhes. Você ainda pode tentar conversar com algum vendedor que também trabalhe com esse fornecedor para entender como a parceria flui entre os dois. 

3 – Defina o seu canal de vendas 

Onde você vai revender os seus produtos? Com os produtos e fornecedores definidos, chegou a hora de estruturar seu negócio definindo um canal de vendas. 

O crescimento do e-commerce facilitou essa etapa para muitos lojistas, que agora podem criar negócios 100% digitais. Porém, antes de começar a sua operação online, é preciso analisar as opções disponíveis na internet e escolher aquela que se encaixa melhor nos seus objetivos. 

Criar uma loja virtual própria, por exemplo, pode ser a opção ideal para você que busca ter um espaço exclusivo e personalizado. Mas lembre-se, esse modelo também exige alguns gastos, como: contratação de plataforma, pagamento das comissões dos meios de pagamento, investimento na hospedagem do site, contratação de serviços de segurança, marketing para sua marca se consolidar e reter clientes, entre outros. 

Agora, se você quer começar a vender online sem fazer altos investimentos, os marketplaces são a melhor opção. Essas plataformas funcionam como grandes shopping centers virtuais, onde lojistas de todos os tamanhos e segmentos podem anunciar seus produtos.

Uma das principais vantagens do marketplace é que eles não cobram nenhum tipo de mensalidade ou taxa. Os lojistas que anunciam seus produtos na plataforma pagam apenas uma comissão sobre as vendas, ou seja, só pagam quando vendem.

Além disso, quem vende nos marketplaces ainda conta com uma série de soluções e serviços  para impulsionar as vendas, como logística, entrega, crédito e publicidade. No marketplace da Americanas – plataforma que possibilita que os lojistas vendam nos sites da Americanas, do Submarino e do Shoptime –, os parceiros também têm acesso a uma área de capacitação exclusiva com vários treinamentos e materiais criados por especialistas em vendas online, que auxiliam toda a sua jornada do parceiro. 

Com o seu canal de vendas definido, você também pode pensar em criar uma estratégia para as redes sociais, por exemplo, para aumentar a visibilidade do seu negócio, ter um canal de comunicação ativo com os clientes e potencializar as vendas. 

4 – Apresente os seus produtos da melhor maneira possível

Com o  seu canal de vendas definido, chegou a hora de cadastrar seus produtos na plataforma. E essa é uma etapa que exige muita atenção, pois este cadastro servirá como uma vitrine para a sua loja. 

Nas vendas online, os consumidores não têm contato direto com os produtos, dependendo apenas das informações e imagens oferecidas pelos vendedores. Sendo assim, um cadastro de produtos bem feito, que apresente todos os detalhes do item vendido, pode fazer toda a diferença. 

As descrições dos produtos e ficha técnica devem fornecer o máximo de informações possível, fazendo com que o cliente não tenha dúvidas ao optar pela sua oferta. Já as imagens que vão ilustrar os produtos devem ser de qualidade e apresentar o item de forma clara e objetiva. 

Todas esses detalhes vão favorecer o seu anuncio e facilitar o entendimento e escolha

dos clientes, agilizando o processo de decisão de compra e até prevenindo casos de arrependimento de compra.

5 – Pense na logística e no pós-venda

A praticidade de comprar os produtos em poucos cliques e recebê-los em casa conquistou os brasileiros. Por isso, as entregas rápidas se tornaram um grande diferencial no comércio eletrônico.

Segundo uma pesquisa da Bornlogic e Opinion Box, 94% dos consumidores já deixaram de comprar algo online por conta do valor do frete, enquanto 78% já desistiram pelo longo prazo de entrega.

Investir em uma boa operação logística é essencial para diferenciar a sua loja da concorrência e oferecer  um prazo de entrega mais rápido ou até um frete mais competitivo, que são pontos decisivos para os consumidores.

E quando um cliente confirma uma compra online, além da entrega, chega um outro momento muito importante: o pós-venda, que envolve todos os processos de separação, embalagem, envio do produto, além do atendimento pós-entrega.

Além disso, é importante lembrar que, nas compras online, o momento da entrega é também onde o cliente tem o primeiro contato com o produto. Por isso, todo esse processo deve ser feito com cuidado para que os produtos cheguem até o destinatário final em perfeitas condições. 

Tudo pronto para a sua revenda de produtos? Então, garanta a formalização do seu negócio, anote todas as dicas e boas vendas!

Leia também:

O que é entrega padrão?

O que é picking e qual a sua importância?

O que é marketplace e como ele facilita a venda online

Americanas Marketplace

Somos a plataforma para você vender seus produtos nas principais lojas virtuais do país: Americanas, Submarino, Shoptime e Americanas Empresas. Aqui seu negócio vai mais longe!

veja ainda:

iso 27001 - destaque

O que é a norma ISO 27001 e como implementar?

A norma ISO 27001: entenda seu papel na gestão da segurança da informação e saiba como implementar um sistema eficaz […]

cnae

CNAE: o que é e como incluir uma atividade econômica no CNPJ

CNAE: o que é e como incluir atividade econômica no seu CNPJ A CNAE é um padrão nacional para identificar […]

contrato de compra e venda - destaque

Contrato de compra e venda: como funciona e quais as garantias?

Conheça o contrato de compra e venda e saiba quando e como usá-lo em suas negociações O contrato de compra e […]