Vender online: 5 passos para você começar

por Americanas Marketplace

20 de junho de 2022

Quer começar a vender online? Descubra as opções mais simples e baratas para dar o primeiro passo

Preparado para vender online e dar os seus primeiros passos no e-commerce? O processo é simples, porém contém diversos detalhes que não podem ficar de fora. Por isso, vamos te acompanhar em todos os passos, desde a criação e formalização da sua empresa até a escolha de um canal de vendas e definição da logística da sua loja. 

Você ainda vai conferir alguns pontos que podem fazer uma grande diferença no desenvolvimento e crescimento do seu negócio, como montar um bom plano de negócios e uma estratégia comercial estruturada para impulsionar o potencial. Vamos começar? 

Vender online: como funciona o e-commerce?  

Você sabe o que é e-commerce? Na definição do dicionário, e-commerce é uma abreviação em inglês para  “electronic commerce”, ou seja, “comércio eletrônico”. 

Esse modelo possibilita que transações comerciais – isto é, a compra e venda de bens e serviços – sejam feitas pela internet, seja por um celular, computador ou tablet.

Esse modelo de negócio possibilita uma maior exposição e alcance para os itens ou serviços que estão sendo vendidos. Além de permitir que as pessoas comprem com poucos cliques e recebam os produtos em casa com comodidade e segurança. 

Nos últimos anos, muitas lojas começaram a vender online, por isso já encontramos uma variedade gigante de produtos no e-commerce. 

Benefícios para quem compra: 

  • Comodidade: comprar com facilidade e sem sair de casa, utilizando um computador, celular ou tablet;
  • Alcance: podem comprar produtos do Brasil inteiro (ou até de outros países);
  • Conveniência: podem receber os produtos em casa. 

Benefícios para quem vende:

  • Visibilidade: não existem fronteiras na internet, você pode vender de qualquer lugar do Brasil e entregar para todas as regiões do país;
  • Investimento: vender online sai muito mais barato do que abrir uma loja física e há, inclusive, opções sem investimento inicial para quem quer começar, como os marketplaces
  • Reconhecimento e alcance: em uma loja física, os seus clientes são mais limitados. Na internet, você alcança milhões de consumidores com mais facilidade. 

Vender online pode ser uma grande oportunidade! 

As compras online já fazem parte do dia a dia dos brasileiros. Afinal, muitos já perceberam como esse modelo pode ser mais cômodo e fácil na hora de garantir seus produtos. 

Os canais de vendas online aproximam as lojas do público, facilitando que eles encontrem seus produtos e, assim, aumentando a conversão de vendas. Para quem trabalha bem a gestão e operação do negócio, não faltam oportunidades de crescimento! 

Além disso, o investimento para abrir uma loja online é muito mais baixo do que o de uma loja física ou até sem custos iniciais, como os marketplaces.

Ainda tem dúvida se essa oportunidade é para você?

Em 2021, o e-commerce brasieiro totalizou 182,7 bilhões de vendas online, resultando em um crescimento de 27% em comparação com o ano anterior.

E o número de consumidores no e-commerce brasileiro segue crescendo! Em 2021, totalizamos 87,7 milhões de consumidores online, uma alta de 10% em comparação com 2020. 

E não pense que esses resultados são temporários, como um reflexo da pandemia. De acordo com o Market Review: Tendências do E-commerce para 2022, 49% dos consumidores pretendem comprar ainda mais na internet este ano. E é só um reflexo de um crescimento que já vem ocorrendo regularmente nos últimos anos:

e-commerce

Entendeu o tamanho dessa oportunidade? Então, vamos ao nosso passo a passo completo para começar a vender online! 

PASSO 1. Abra sua empresa

O primeiro passo é definir o tipo de empresa que você quer abrir. Hoje, muitos empreendedores que estão começando a vender online optam por iniciar sua atuação no mercado como MEI ( (Microempreendedor Individual). Porém, nem todas as lojas se encaixam nas características desse modelo.

Por isso, antes de formalizar o seu negócio e criar um CNPJ, analise as opções e entenda qual modelo de negócio é mais vantajoso para você. Nesse momento, considere características como:

  • Limite de faturamento anual;
  • Possibilidade de contratação de funcionários;
  • Tipos e valores de impostos cobrados.

Definiu o tipo de empresa que melhor se encaixa no seu negócio? O próximo passo para formalizar o seu negócio é criar um CNPJ. Com esse documento, você pode trabalhar de forma mais segura e garantir seus direitos como empreendedor.

O CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica) é uma documentação que serve para a Receita Federal identificar uma empresa, acompanhando suas movimentações financeiras. Ele funciona como uma identificação ou CPF para empresas ou pessoas jurídicas, ou seja, com o CNPJ, a empresa passa a existir legalmente. 

Com esse documento, o negócio começa a ter acesso a facilidades como para abrir uma conta bancária jurídica, ter acesso a crédito, contratar funcionários, entre outros. Em contrapartida, é preciso manter em dia todas as prestações de contas, incluindo o pagamento de impostos.

O CNPJ é emitido pelo Ministério da Fazenda, por meio da Secretaria da Receita Federal, que detém sua administração, controlando e fiscalizando toda e qualquer movimentação financeira ocorrida aqui no país.

A emissão pode ser bem mais simples, já que existem muitas Unidades Cadastradoras espalhadas pelo Brasil, incluindo Juntas Comerciais de Estados, que emitem o documento. No modelo mais básico, o CNPJ MEI, ou seja, focado em Microempreendedores Individuais, a emissão pode ser feita 100% pela internet.

Com um CNPJ, você passa a contar com vantagens como:

  • Emissão de nota fiscal;
  • Cobertura do INSS;
  • Maior acesso ao crédito bancário;
  • Passa mais credibilidade aos clientes;
  • Desconto e melhores condições de ofertas com fornecedores.
Como abrir um CNPJ

Primeiramente, cheque se você possui todos os documentos e dados necessários sobre o seu negócio: 

1) Dados pessoais:

  • RG;
  • Título de Eleitor;
  • Declaração de Imposto de Renda;
  • Dados de contato;
  • Endereço residencial.

2) Dados do seu negócio:

  • Setor: Comércio, Serviço ou Indústria;
  • Atividade econômica realizada, conhecida como CNAE;
  • Endereço da empresa ou do local onde o seu negócio será realizado.

3) Cadastro no Portal de Serviços do Governo Federal

  • Faça o cadastro da sua conta Brasil Cidadão no site do governo (https://sso.acesso.gov.br) e lembre-se de guardar seus dados de acesso. 

Documentos em mãos? Então, vamos começar a sua inscrição!

Para começar, acesse o Portal do Empreendedor (https://empreendedormei.org) e siga os passos no site. 

Assim que a sua inscrição for finalizada, o seu negócio está formalizado e você pode aproveitar todas as vantagens de ter um CNPJ, como, por exemplo, emitir as notas fiscais dos pedidos feitos na sua loja. 

CNAE de varejista

Você sabe o que é a CNAE de varejista? Esse documento, também conhecido como Classificação Nacional de Atividades Econômicas, é uma regularização que identifica as atividades econômicas de um CNPJ.  

O documento é um requisito para vender online dentro dos marketplaces, por exemplo. Por isso, é essencial que o seu negócio esteja devidamente regularizado como varejista e possa prestar atendimento ao consumidor final.

Alguns tipos de empresa já são caracterizados dessa forma, porém, os perfis que ainda não estão classificados para atuar nesse formato devem solicitar a inclusão da CNAE de varejista no CNPJ para poder vender online de forma regular. 

Como incluir a CNAE de varejista no seu CNPJ?

A CNAE para venda no varejo deve ser uma informação presente em seu contrato social. Se essa descrição não aparece no documento, ela deve ser inserida. Nesse caso, é necessário a aprovação de todos os sócios e representantes legais da empresa. Em seguida, assim que esse documento for registrado, a empresa estará apta a solicitar o CNAE.

O próximo passo será gerar um DBE (Documento Básico de Entradas), que, por sua vez, permite que sejam realizadas alterações no CNPJ original da empresa.

Depois disso, será preciso solicitar uma alteração contratual, que deverá ser protocolada junto à Receita Federal do Brasil, SEFAZ (Secretaria da Fazenda) e na Prefeitura da cidade onde o negócio está situado.

Para incluir a CNAE de varejista no seu CNPJ, se possível, tenha o auxílio de um contador. O profissional poderá te ajudar a realizar o procedimento com mais facilidade e transparência, te orientando em todas as etapas e oferecendo as melhores dicas e práticas para manter a conformidade com a legislação. 

Como emitir nota fiscal

A emissão de nota fiscal é primordial para manter a transparência do um negócio e é um requisito para quem deseja vender os produtos em um marketplace. O documento registra a transferência de um bem de uma empresa para uma pessoa física ou até para outro CNPJ, além de trazer dados para o recolhimento de impostos.

Na Americanas Marketplace, por exemplo, os parceiros devem sempre enviar uma versão digital da nota fiscal para o cliente que compra em sua loja. 

Existem dois modelos de nota fiscal: a nota fiscal emitida de forma avulsa (NFA) e a nota fiscal eletrônica (NF-e). 

Negócios da categoria Microempresa (ME) ou superior, obrigatoriamente, emitem a NF-e. Já quem MEI pode emitir a NFA como uma alternativa à NF-e. Porém, se esse for o seu caso, fique atento, pois enquanto a NF-e segue um padrão nacional, a NFA possui normas diferentes dependendo do seu Estado de atuação.  

Como emitir a NF-e? 

A emissão de Nota Fiscal eletrônica é disponibilizada pela SEFAZ  (Secretaria da Fazenda) , sendo que será preciso solicitar uma senha de acesso para começar a utilizar o sistema.

Sendo assim, para realizar o processo, procure o site do Posto Fiscal do seu Estado e realize o processo a partir dele. Provavelmente, você terá que preencher o documento, anexar uma cópia seu RG, CPF e comprovante de MEI e comparecer pessoalmente ao Posto Fiscal para entregar a solicitação.

Clique aqui e confira algumas dicas para preencher o documento de solicitação de senha online e mais informações sobre a emissão de nota fiscal. 

PASSO 2. Crie um plano de negócios

Estruturar um plano de negócio é um passo essencial para quem quer começar a vender na internet. Afinal, é nesse planejamento que você vai identificar e criar diversos detalhes da sua loja e da sua atuação no mercado, indo desde o posicionamento até a sua margem de lucro. 

Quem é a sua empresa? 

O primeiro passo desse planejamento é estruturar algumas informações iniciais do seu negócio, como: 

  • Quem são as pessoas que trabalham ou vão trabalhar na sua empresa e quais são as funções que cada uma vai exercer no negócio?
  • Qual é a missão da empresa, ou seja, o seu propósito no mercado? Descreva um resumo do que ela vai ser e como vai funcionar. 
  • Quais são as atividades que a empresa irá exercer?
  • Qual o capital social disponível para iniciar o negócio e quais serão as fontes de recursos (capital próprio, empréstimos)?

Estes conceitos são básicos e extremamente necessários para te ajudar a visualizar os principais pontos da sua empresa. Além disso, eles serão fundamentais na hora de estruturar o passo a passo do seu plano de negócios.

Por onde começar? 

O que vender online? Esse é um dos primeiros questionamentos que muitos empreendedores fazem antes de entrar no e-commerce. Afinal, em um mercado tão vasto, pode ser difícil encontrar algo novo e com o qual você se identifique para começar a vender. 

Por isso, para te ajudar, separamos algumas dicas para te ajudar nesse processo de decisão: 

Pesquise e estude muito sobre o mercado

Conheça duas formas bem fáceis para você analisar algumas informações relevantes do mercado: 

  • Pesquisas oficiais 

Já existem muitas empresas focadas em pesquisas de mercado que usam métodos bem estruturados para a coleta de informações e podem te ajudar a ter uma visão mais profunda sobre o mercado e público.

O IBGE, por exemplo, é um órgão especializado em coletar informações geográficas e estatísticas no país, trazendo diversos dados populacionais e de comportamento do brasileiro. Assim, você consegue entender desde a quantidade de homens e mulheres no país até a quantidade de pessoas que usam smartphone para acessar a internet ou realizar compras online.  

O Webshoppers, relatório de e-commerce divulgado pelo Ebit, é uma grande referência do varejo virtual, que traz dados de vendas e consumo muito importantes para o varejista, incluindo categorias mais vendidas em grandes datas comerciais. 

Fique atento às organizações oficiais e institutos privados de pesquisa e mantenha uma rotina de acompanhamento de novas publicações, já que elas podem antecipar mudanças de comportamento do consumidor e do mercado em geral.

  • Google Trends

O Google Trends é outra ferramenta bem interessante para conhecer melhor o mercado e as tendências de pesquisa e consumo dos clientes, já que ele mostra quais termos de busca apresentaram crescimento e foram mais digitados pelas pessoas na ferramenta de busca do Google.

Quando você conhece estes termos, consegue entender melhor o mercado atual e pode se preparar para as vendas de forma mais assertiva e estratégica, apostando nos produtos mais buscados. 

Vamos imaginar que, na sua loja, você quer vender produtos para o cabelo e, com o Google Trends, descubre que há um interesse muito alto na busca por shampoo a seco. Ao identificar isso, você vai saber que vale a pena comprar mais destes produtos com os seus fornecedores, pois provavelmente a demanda por esses itens será mais alta. 

Escolha um nicho com o qual você se identifique 

Empreender exige dedicação e comprometimento, e ao vender online isso não seria diferente. Por isso, é muito importante que você se identifique com o seu negócio e esteja motivado a desenvolvê-lo. 

Quando você opta por trabalhar com um segmento que você conhece bem e, inclusive, é o próprio público, você consegue trabalhar muito melhor. Assim, você entende as dores e expectativas do público, conhece as tendências, sabe identificar produtos de qualidade, escolher os melhores fornecedores e, assim, consegue surpreender os seus clientes com muita facilidade. 

Escolha um nicho de produtos 

Não tem segredo: quanto mais variado for o seu sortimento, maiores serão as suas chances de conquistar mais vendas e impactar mais consumidores! Sendo assim, antes de começar a vender online, determine os produtos que farão parte da sua vitrine online.

A maioria dos segmentos é muito vasto e possui diferentes marcas no mercado, às vezes, marcas que vão desde as mais luxuosas até algumas mais acessíveis. São vários nichos que podem ser explorados e você deverá definir exatamente onde quer investir para depois começar a analisar melhor o seu público-alvo e as necessidades dele para escolher os itens da sua loja de forma assertiva e estratégica.

Se você já vende em uma loja física e possui um mix de produtos definido, você pode usar a Curva ABC para encontrar os seus produtos mais lucrativos e mais vendidos no seu comércio e começar a apostar neles para vender online. Assim, você já começa as suas vendas no e-commerce com um sortimento ainda mais assertivo.

Conheça o seu público-alvo

Entender e definir o seu público-alvo é um processo importante para quem vai começar a vender online. E se você já tem um comércio físico, essa etapa continua sendo essencial, pois ao começar sua atuação no digital, você terá um novo canal, com novos consumidores e novos concorrentes. 

Sendo assim, aproveite essa etapa para conhecer bem o seu  público-alvo! E tente ir além do básico – gênero, idade e ticket médio –, busque entender o comportamento de compra desses clientes, suas dores e expectativas ao comprar os seus produtos online. Criar um mapa de empatia irá te ajudar a identificar estes fatores da sua persona.

mapa de empatia - vender online

Essas informações te ajudarão a tomar decisões mais assertivas em seu plano de negócio, fazendo com que você segmente melhor suas estratégias e impacte as pessoas certas, pois dessa forma você identifica os clientes mais interessados em comprar seu produto e já sabe para quem exatamente você irá direcionar sua estratégia comercial.

Vamos imaginar que você vende roupas, O seu negócio pode atingir qualquer público, já que quase todo mundo compra roupas, mas você pode segmentar sua estratégia, vendendo apenas roupas masculinas, para jovens e adultos entre 15 a 35 anos e com foco em lazer. Nesse momento, o ideal aqui é sempre embasar sua decisão nos estudos que você fez inicialmente sobre o mercado.

Analise a sua concorrência

Conhecer as lojas que vão competir com a sua pelo mesmo público é primordial para você entender como atuar e como se diferenciar ao vender online. Sendo assim, comece mapeando os seus concorrentes para entender como posicionar o seu negócio. 

Como falamos anteriormente, se você já tem um negócio, como uma loja física, por exemplo, não se prenda aos seus concorrentes antigos. A concorrência dos mundos físico e virtual são bem diferentes, já que a região impacta muito no primeiro caso, enquanto no online outros fatores podem influenciar a decisão de compra. 

Faça uma boa análise das lojas online que vendem os mesmos produtos que você e entenda como elas utilizam os canais de atuação, como divulgam os produtos e qual preço elas praticam. Nesse momento, você pode até realizar uma compra nessas lojas para entender como é a experiência de compra oferecida por elas. 

Anote os pontos fortes e fracos e trace a estratégia da sua loja pensando em como você pode se diferenciar das demais e criar uma atuação única no mercado. 

Escolha seus fornecedores

Encontrar bons fornecedores pode ser um fator determinante para o seu negócio, pois é por meio deles que você irá garantir a qualidade dos seus produtos, além de conseguir bons preços e entregas dentro do prazo necessário para atender os seus clientes da melhor maneira possível. 

Então, para começar essa busca, pesquise todas as lojas que podem fornecer os produtos que você pretende vender online e análise pontos como: 

  • Qualidade dos produtos;
  • Preços de cada fornecedor;
  • Prazos de entrega;
  • Facilidade de pagamento;
  • Credibilidade da loja.

Além disso, busque negociar preços em cenários diferentes, como para pagamento à vista ou para compras no atacado, ou seja, em grandes quantidades. Isso pode favorecer os resultados das suas vendas online. 

Toda essa pesquisa e análise irá te ajudar a tomar as decisões mais corretas sobre onde comprar seus produtos e quem pode ajudar em uma situação de emergência.

PASSO 3. Pense na parte estratégica da sua loja

Você já sabe qual será o foco do seu negócio e qual é a mensagem que você quer passar para o seu público? Esse posicionamento deve estar bem claro internamente, entre todos os colaboradores, para ser refletido aos seus clientes durante a experiência de compra. Por isso, ter uma estratégia comercial bem estruturada é tão importante ao vender online. 

Como criar a sua marca 

Definir a personalidade e o seu posicionamento do seu negócio é um passo determinante ao vender online. Pois é dessa forma que você garante que a sua marca irá aparecer no mercado da maneira que você deseja e, com isso definido, você já pode começar  a pensar em um nome que reflita isso. 

O nome carrega a identidade da sua marca, então, ao criá-lo, você pode experimentar algumas possibilidades, como: combinar palavras, usar abreviações, fazer alguma associação aos seus produtos, entre outras possibilidades que resultem em um nome único. 

Com o nome da sua loja definido, não esqueça de verificar se ele já não existe e de registrar a sua marca no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), essa é a única forma de protegê-lo de ser copiado. 

Com esse ponto resolvido você pode começar a pensar no visual da sua marca. Estabeleça os elementos e designs que serão aplicados na identidade visual dela, como as cores, fontes, formas e símbolos. Com essa parte fechada, fica ainda mais fácil pensar em um logo e também nas suas comunicações.

Definições de negócio

Outro ponto necessário na criação da sua estratégia comercial é o mapeamento dos seus principais produtos – os que você espera que contribuam mais para seu faturamento – e explicar um pouco sobre eles. 

Vamos imaginar que você está começando a vender itens para a casa e de decoração. Você fará uma lista dos seus produtos, descrevendo suas expectativas e o motivo de estar investindo naquele item. Da seguinte forma: 

Produto: Quadro de aramado preto com luz pisca pisca 40×40 cm.

Motivadores: Produto com baixo custo e alta demanda.

Expectativas: Minha oferta vai se diferenciar da concorrência por conta do pisca pisca, que irá aumentar  a percepção de valor do item e assim poderei cobrar um valor mais elevado que das outras lojas. 

Margem de contribuição desejada: 60%

Planejamento financeiro 

E já que começamos a falar sobre margem, a estratégia de precificação da sua loja é um ponto extremamente importante para os seus resultados ao vender online. 

Você precisa estruturar um plano de ação, por exemplo, você vai começar competindo por preços mais baixos ou terá um sortimento mais competitivo e de maior qualidade que os demais? Você também pode se destacar oferecendo melhores condições de frete e de tempo de entrega.

Para montar um planejamento financeiro para o seu negócio, comece anotando as seguintes informações:

  • Quanto eu tenho para investir no negócio?
  • Quanto eu pretendo gastar com equipamentos?
  • Quais são as minhas despesas fixas (conta de água, luz, telefone, salários, impostos) e variáveis (comissão, publicidade)?
  • Qual será o meu capital de giro, ou seja, qual o dinheiro que eu tenho reservado para suprir as necessidades financeiras da empresa ao longo do tempo?

Essa etapa é muito importante para organizar a saúde financeira do seu negócio antes de você começar a vender online, dando uma maior previsibilidade de custos e receita e te ajudando a estruturar um bom plano de negócios.

Como precificar os seus produtos? 

Agora que você já tem uma noção melhor de todas as despesas do seu negócio, você pode começar a pensar na precificação dos seus produtos. Isso é, definir o preço de cada item que será exposto na sua loja online.

Definir o preço dos seus produtos é uma das tarefas importantíssimas para a sua loja, pois é nessa etapa que você irá definir e entender a sua margem de lucro ao vender online.

A margem de lucro nada mais é do que a porcentagem que mostra o quanto de lucro que restou para a sua empresa, quanto subtraídos todos os custos envolvidos na venda daquele item.

Para descobrir qual é a sua margem de lucro, você deve dividir o seu lucro pela receita e multiplicar o resultado por 100. Da seguinte forma: 

LucroReceitax 100 = margem de lucro

Entendeu como funciona a margem de lucro? Então, confira alguns passos que podem te ajudar nessa definição de preços dos produtos da sua loja. 

1. Defina o seu objetivo. O que você quer atingir com aquele produto: É gerar lucro? Aumentar o tráfego para o seu site? Gerar caixa? Atrair novos clientes? 

2. Analise a concorrência. Quais são os preços praticados pelas outras lojas do seu setor? 

3. Mapeie os custos do produto. Busque entender as despesas envolvidas em cada produto, como alíquota, embalagem, entre outras questões. 

4. Calcule sua margem de contribuição. Subtraia os custos e despesas variáveis do preço de cada venda. 

PASSO 4. Determine seus canais de atuação

Agora que todos os principais pontos do seu negócio já estão definidos, chegou a hora de colocar a mão na massa e escolher o canal que você vai utilizar para vender online. 

Para te ajudar nessa decisão, fizemos um compilado dos principais canais de venda existentes hoje ,com todas as vantagens e desvantagens de cada um deles. Confira: 

Redes sociais 

As redes sociais seguem crescendo muito quando consideramos ela um canal de vendas. Segundo uma pesquisa da Bornlogic em parceria com a Opinion Box, 65% dos consumidores brasileiros têm o hábito de pesquisar por produtos para comprar nas redes sociais.

Porém, apesar do grande uso desse canal, ele proporciona um modelo de venda mais direta e bastante informal, que nem sempre funciona para todas as categorias de produtos ou tipos de negócios. 

Algumas vantagens de trabalhar nas redes sociais é que você tem mais liberdade e autonomia para criar conteúdos ilimitados, podendo até segmentar o seu público de acordo com os seus interesses. 

Além disso, você ainda pode impulsionar conteúdos, criar posts patrocinados para ter um alcance ainda maior dentro das plataformas e até criar parcerias com influenciadores ou outras marcas que conversam com o seu negócio. 

Investimento

Dentro das redes sociais, você tem bastante facilidade para criar anúncios para potencializar a visibilidade das suas publicações e vender ainda mais. Nos anúncios, é importante que você sempre direcione o cliente para algum lugar, como um site para que ele finalize a compra. Sendo assim, optar por trabalhar exclusivamente com as redes sociais como canal de vendas pode ser bem limitante para o seu negócio ou não passar muita confiança, afastando clientes mais qualificados.

E-commerce

Ter um e-commerce próprio pode ser uma boa opção se você quer ter um espaço exclusivamente seu onde os consumidores possam adquirir os produtos. 

Nesse modelo, você tem uma maior praticidade para gerenciar os seus pedidos e ainda passa mais credibilidade e segurança aos clientes. Porém, garantir esses pontos pode acabar saindo caro. 

Investimento

Embora demande menos investimento que a criação de um comércio físico, para criar uma loja online você deve contratar uma plataforma, pagar as comissões dos meios de pagamento, investir na hospedagem do seu site, contratar serviços de segurança, entre outros gastos para garantir que a sua operação seja excelente para você e para os clientes. 

Além disso, o investimento em marketing é essencial, pois é assim que as pessoas passam a tomar conhecimento da sua loja e chegam até ela. 

Marketplace

Levando todos esses pontos em consideração, o marketplace aparece como uma opção diferenciada, oferecendo toda a formalidade que uma loja online precisa e por zero investimento.  

Essas plataformas funcionam como grandes shopping centers virtuais, onde lojistas de diferentes categorias e de todas as regiões do país podem anunciar seus produtos.

O marketplace é conhecido por ser uma opção bem barata e a favorita de muitos empreendedores que estão começando a vender online pois eles não cobram nenhum tipo de mensalidade. Os lojistas que desejam anunciar seus produtos pagam apenas uma comissão sobre as vendas, ou seja, só paga quando vende.

Além disso, essas plataformas possuem grandes marcas por trás, como uma base de clientes consolidada, que conhece os sites e confia neles. No final, isso traz diversas vantagens para os lojistas que optam pelos marketplaces, como: 

  • Passa credibilidade e segurança aos clientes;
  • Maior visibilidade para os seus produtos;
  • Possibilidade de crescimento rápido e consistente.
Investimento

Cada marketplace tem um modelo de cobrança, mas, como falamos anteriormente, a grande maioria funciona em um sistema de comissões. Não há taxa de cadastro ou mensalidade, é cobrada apenas uma comissão sobre os pedidos realizados na sua loja dentro da plataforma. 

Por exemplo: o seu produto custava R$100. O marketplace cobra uma parte desse valor. A taxa varia de canal para canal e também pode variar de acordo com o seu departamento de vendas, mas vamos imaginar que ela é de 16%. Portanto, nessa simulação, o canal ficaria com R$16 e o lojista com R$74.  

Por isso, se você optar por vender online em um marketplace, busque conhecer muito bem as taxas de comissão para precificar corretamente seu produto, já que, como nós já vimos, a estratégia de preço é fundamental para manter a saúde e lucratividade do negócio.

Americanas Marketplace

O marketplace é a escolha ideal se você quer começar a vender online de forma simples e alcançar clientes bem rápido. 

A Americanas Marketplace integra as três maiores marcas de varejo da internet brasileira – Americanas, Submarino e Shoptime. E com um cadastro único, os lojistas podem anunciar seus produtos dentro dos três sites e alcançar um público super diverso e consolidado. 

Os lojistas parceiros da Americanas Marketplace já contam com toda a estrutura da plataforma, precisando apenas cadastrar os produtos para começar! E esse processo é muito fácil e pode ser concluído em apenas três passos, confira: 

1º etapa: Cadastre-se: registre a sua loja, cadastre seus produtos na plataforma e, logo, eles estarão disponíveis nos três sites.

2º etapa: Venda muito: alavanque suas vendas e com ainda mais segurança, já que a Americanas Marketplace dá visibilidade aos seus itens e autêntica cada uma de suas vendas contra fraudes.

3º etapa: Entregue: receba os pedidos feitos na plataforma, prepare os itens e entregue aos seus clientes. Depois, é só receber pelas suas vendas.

E tem mais: quem vende nos marketplaces ainda conta com diversas soluções para impulsionar as vendas, como crédito, para que eles invistam no crescimento de seus negócios; publicidade, para anunciar dentro e fora dos sites e aumentar a visibilidade e conversão de vendas; além da logística das maiores marcas, assim o parceiro foca apenas na parte estratégica do negócio enquanto deixa a operação nas mãos do marketplaces. 

Além de tudo isso, os parceiros da Americanas Marketplace ainda têm acesso a uma área de capacitação exclusiva com vários treinamentos e materiais que auxiliam toda a sua jornada de vendas online.

Faça seu cadastro e comece a vender na Americanas Marketplace!

vender online - interna
Integre os canais de venda

Independentemente do canal que você escolher, isso não quer dizer que você deverá excluir os outros. Muito pelo contrário, você pode integrar os seus canais de venda e oferecer uma experiência de compra ainda mais completa aos consumidores da sua loja. 

De acordo com a 45º edição do relatório Webshoppers, as principais formas que os brasileiros usam para chegar até a loja ou produto desejado ao comprar online são as redes sociais, os sites de busca e procurar pela loja ou produto específico desejado diretamente. 

Como falamos anteriormente, trabalhar exclusivamente com as redes sociais pode trazer alguns impedimentos para o seu negócio. Mas atuar em um marketplace ou e-commerce próprio junto com as redes sociais pode levar o seu negócio muito mais longe. 

Você pode aproveitar o link da loja no marketplace ou até do seu e-commerce próprio e divulgar nas redes sociais, por exemplo, que são ótimos canais para você criar conteúdos diferentes — como vídeos, por exemplo — com os seus produtos e até interagir com os clientes. 

Uma estratégia multicanal é capaz de aumentar a visibilidade da sua loja, fazendo com que o cliente tenha uma experiência única e marcante ao longo da jornada de compra dele. 

Estratégia omnichannel 

Se você já tem uma loja física e está começando a vender online para diversificar a sua atuação, você pode aproveitar para criar uma estratégia omnichannel, ou seja, integrar a sua operação online e offline. 

Assim, você é capaz de oferecer uma experiência de compra diferenciada e mais completa aos consumidores , onde ele pode comprar online e trocar ou retirar os produtos em uma loja física. Além disso, essa estratégia é capaz de reduzir alguns custos operacionais e logísticos do seu negócio, já que o cliente tem a opção de fazer as ações diretamente no estabelecimento. 

E essa integração é uma via de mão dupla, pois, hoje, a jornada de compra online não acontece de maneira linear. Muitos consumidores têm o hábito de procurar pelos produtos em um meio e finalizar a compra em outro. 

Segundo o Market Review: Tendências do E-commerce para 2022, da Bornlogic com a Opinion Box, 74% dos consumidores já pesquisaram online e finalizaram a compra em uma loja física e 84% dos consumidores já pesquisaram por um produto em uma loja física e deixaram para comprar online. 

Entendeu como essa integração pode impulsionar o potencial da sua loja e ainda aumentar a sua conversão de vendas? Aproveite a sua loja física para incrementar a experiência de compra dos seus consumidores e crie uma jornada única. 

PASSO 5. Invista no pós-venda

Não importa se você vende nas redes sociais, em uma loja virtual ou em um marketplace. Assim que uma compra é confirmada, começa a parte mais importante da jornada de compra dos seus clientes: o pós-venda! 

O pós-venda é toda a parte de entrega, suporte e relacionamento com o consumidor, que começa a partir do momento em que a venda é finalizada. O objetivo principal desse processo é fidelizar o seu cliente, fazendo com que ele tenha a melhor experiência de compra e retorne para comprar na sua loja. 

Organize a parte logística

Vender online vai além de oferecer os produtos em um canal digital, principalmente porque, nesse modelo de vendas, diversos fatores podem acabar influenciando a experiência de compra do consumidor e até a decisão de compra dele.  

Segundo o Market Review: Tendências do E-commerce para 2022, da Bornlogic e Opinion Box, 94% dos consumidores já deixaram de comprar algo online pelo valor do frete e 78% por conta do longo prazo de entrega. 

Esses dados destacam a importância das lojas virtuais investirem em uma boa operação logística, pois apenas assim elas conseguem realizar os envios de forma eficiente e ágil. 

Com uma estrutura logística em dia, você consegue vender online oferecendo um prazo de entrega mais rápido ou até um frete mais competitivo, que são pontos que impactam diretamente a decisão dos consumidores ao escolher uma loja para realizar suas compras. Além disso, esse investimento fará com que você diferencie a sua loja dos concorrentes. 

Se você vende em um marketplace, esse processo pode ser ainda mais simples, já que muitas plataformas oferecem serviços logísticos de ponta para impulsionar as vendas de seus parceiros. Como vimos anteriormente, com a solução de logística do marketplace, o parceiro cuida apenas da parte estratégica do negócio, enquanto o marketplace cuida de todos os processos, desde SAC, packing e entrega até o atendimento pós-venda. 

Ofereça um atendimento inesquecível 

Um atendimento de qualidade é algo que faz muita diferença na experiência do cliente quando você vende online. 

Sendo assim, se você quer que a sua loja ofereça uma experiência inesquecível aos clientes, para que ele volte a comprar, fazer um atendimento de qualidade é essencial. Confira algumas dicas para oferecer um atendimento memorável aos seus clientes: 

Personalize o seu atendimento: ter um atendimento personalizado cria uma maior proximidade aos seus clientes, além de demonstrar empatia por parte da sua loja. Quando você ouve de fato os seus clientes, você cria um relacionamento mais próximo dos clientes e possibilita a fidelização do cliente de forma mais fácil.

Atenção ao tempo de resposta: o tempo de resposta é um dos principais indicadores de desempenho relacionados ao atendimento ao cliente nas vendas online, uma vez que, ele representa o intervalo médio desde a primeira tentativa de contato do cliente até a primeira resposta da empresa.

Quanto maior seu tempo de resposta, piores serão suas chances de converter clientes através do atendimento online. Por isso, busque responder os seus clientes o mais rápido possível. Para facilitar e agilizar esse processo,você pode criar um material com algumas respostas prontas para as questões mais frequentes dos consumidores.

Ofereça um atendimento humanizado: automatizar o seu atendimento pode até ser uma solução mais fácil. Porém, um chatbot nunca conseguirá encantar os consumidores como um atendente real. 

Quanto mais humano você for no seu atendimento, maiores serão as chances de fidelização do cliente. Sendo assim, invista em um atendimento humanizado para que os clientes se sintam mais relevantes nesse momento. 

Seja empático em suas respostas: a forma como a sua marca é vista é impactada diretamente pelo atendimento oferecido por ela. Por isso, nesse momento, se você mostra para o cliente que você está realmente interessado em ajudá-lo da melhor maneira possível e não simplesmente de uma forma rápida, isso faz com que ele se sinta importante. 

Peça feedbacks e mantenha contato: Incentivar o feedback garante que você tenha conhecimento das experiências boas e ruins de seus clientes, sendo uma ótima forma de entender realmente como ele se sente em relação ao atendimento recebido. 

Nesse momento, você pode fazer algumas perguntas no final do atendimento ou até enviar uma pesquisa de satisfação para os clientes. Isso criará um canal transparente para que você aprimore o seu atendimento e faça melhorias sempre que possível. 

Informe sobre as novidades da loja: se você já tem clientes fidelizados, aposte nesse grupo para mostrar as novidades em primeira mão. Essa exclusividade fará com que eles se sintam ainda mais especiais. 

Use datas comemorativas: essas datas comemorativas podem ser mais relevantes para o mercado, como uma Black Friday, por exemplo, ou diretamente relacionada ao seu cliente, como o aniversário dele. De qualquer forma, essas são as oportunidades perfeitas para você enviar um desconto, criar um relacionamento mais próximo e incentivar uma nova compra na sua loja. 

Anotou todos os passos para você começar a vender online? O processo possui diversos detalhes, mas é mais fácil do que você imagina, ainda mais quando você opta por trabalhar com os parceiros certos. Com todas essas dicas, logo você estará com os seus produtos aparecendo e vendendo muito na internet. E se optar pelos marketplaces, lembre-se que poderá ter auxílio em cada etapa de vendas com os treinamentos e serviços gratuitos que alguns canais oferecem! Boas vendas!

Leia também:

Americanas Marketplace: o que é e como vender neste canal?

O que é marketplace e como ele facilita a venda online

SAC: o que é e qual a sua importância no e-commerce?

Americanas Marketplace

Somos a plataforma para você vender seus produtos nas principais lojas virtuais do país: Americanas, Submarino, Shoptime e Americanas Empresas. Aqui seu negócio vai mais longe!

veja ainda:

customer experience - destaque

Customer experience: o que é, importância e aplicação

O foco em customer experience ajuda a fidelizar seus clientes e melhorar a relação deles com a sua marca A […]

google analytics - destaque

Google Analytics 4: como funciona o GA4?

Descubra como funciona o Google Analytics 4, a nova versão da ferramenta do Google! O Google Analytics 4, também chamado de […]

dia dos namorados - destaque

Dia dos namorados: como se preparar para vender na data?

O Dia dos Namorados é uma boa oportunidade para a venda de itens de diferentes categorias. Veja como se organizar […]