Como vender vinhos online: veja 11 dicas

por Americanas Marketplace

16 de novembro de 2023

Saiba como começar a vender vinhos online e quais pontos se atentar ao entrar nesse mercado 

Vender vinhos online pode ser uma ótima oportunidade de negócio. Entre 2016 e 2021 foram consumidos mais de 20,2 milhões de litros de vinhos aqui no país e a expectativa é de que esse valor dobre até 2026, segundo dados da Euromonitor International.  

Mas, vale lembrar que esse mercado costuma lidar com um público bastante informado e exigente na hora de comprar, o que exige uma boa dose de estudo e planejamento. 

Se você pensa em se aventurar no mundo dos vinhos e iniciar seu negócio online nesse setor, é preciso cumprir algumas etapas antes de abrir sua loja e sair por aí vendendo. Conhecimento do mercado, escolha de fornecedores, gestão do estoque: cada detalhe conta e conta muito pro sucesso do seu negócio. 

Para você que deseja saber como vender vinhos online, mas não tem ideia de como começar, vale seguir estas 11 dicas que separamos aqui! 

1 – Estude bem o mercado e seu público-alvo 

Ler meia dúzia de artigos sobre o setor não é o bastante. Para vender vinhos online é fundamental se preparar de verdade para atender um público exigente. Mesmo que eventualmente alguns de seus clientes sejam mais iniciantes e flexíveis no tema, é preciso se preparar para atender os mais criteriosos e conseguir dialogar com eles. 

Você precisa saber a procedência do produto, conhecer bem a produção, diferenças de uvas, safra, processo de maturação da bebida, vinhos especiais e de reserva, a distinção de armazenamento em barris e todas as especificações de cada garrafa. Além disso, é importante ter conhecimento sobre como cada rótulo harmoniza com diferentes pratos para propor sugestões coerentes para os clientes. 

Essas informações vão orientá-lo desde a compra do estoque, como no cadastro de itens e em um bom atendimento ao cliente. Em cada momento do negócio é preciso lembrar que cada rótulo é único e precisa ser bem explicado para o consumidor, de forma que ele consiga entender exatamente o que está comprando. Por isso, estude muito sobre esse mercado, quem é o seu cliente e suas expectativas. 

2 – Solicite as autorizações necessárias 

Para abrir um e-commerce e vender de forma legalizada, será preciso abrir um CNPJ para sua empresa, emitir notas fiscais e criar uma conta bancária exclusiva para uso da empresa. 

Essas obrigações são comuns a qualquer lojista que queira se formalizar e vender online. Mas, além delas, no setor de bebidas será preciso obter autorizações exclusivas para atuar neste segmento. Como cada cidade pode ter regras específicas, o ideal é obter informações oficiais de órgãos como a própria prefeitura de onde você abrirá sua empresa. 

Cada estado tem uma Agência de Controle de Bebidas (ACB), departamento que controla a comercialização de bebidas alcoólicas naquela região. Por isso, será preciso pedir a solicitação e esperar pela autorização para iniciar as vendas. Depois, lembre-se de renovar a licença anualmente para se manter regular e na conformidade com a legislação. 

3 – Encontre fornecedores de confiança 

Como toda bebida alcoólica, é fundamental ter confiança sobre a originalidade e procedência dos vinhos que você adquire. Qualidade do produto, desde a produção das uvas até a embalagem, com processos de higiene adequados e boa vedação são fatores a se observar. 

Os clientes podem se decepcionar caso notem qualquer desvio no produto e isso vai além da venda de itens possivelmente falsificados. Mesmo fornecedores legítimos, mas que ofereçam rótulos de uma safra ruim ou com problemas de conservação podem impactar a experiência do seu cliente de forma negativa. 

Por isso, ao vender vinhos online, tenha a certeza de contar com os melhores fornecedores e de alta confiança da sua parte. Afinal, maus fornecedores podem custar muito caro com a insatisfação e perda de clientes. 

4 – Tenha um sortimento diversificado 

Ao definir seu sortimento, pense em como diversificá-lo para contemplar o maior número de clientes e suas necessidades, além de contar com itens que possam destacá-lo e diferenciá-lo do restante do mercado.  

Procure bons rótulos entre os vinhos nacionais, importados (de países como Portugal, Espanha, Itália, França e outros) e até bebidas Ready to Drink. Estas últimas são opções prontas para o consumo, geralmente em latas de alumínio, e que agradam um público mais jovem. Na escolha, também mescle uma variedade com preços diferentes, para atingir um público diversificado. 

Tenha rótulos com as diferentes opções de uvas, além de vinhos branco, rosé e tinto, com opções de seco, meio seco (demi-sec), doce e suave. Com o tempo, analise melhor seu cliente, os itens mais vendidos e fortaleça seu estoque para os produtos campeões de venda, diminuindo estoque para o que tiver pouca demanda. 

5 – Zele muito bem pelo seu estoque 

Sim, vinhos podem estragar. Uma armazenagem inadequada pode comprometer a qualidade do item, comprometendo seu aroma, sabor e nível de acidez. Por mais que a validade esteja adequada e tomá-lo não ofereça necessariamente um risco a saúde, a degustação pode ser sim comprometida e gerar um impacto negativo. 

Por isso, invista em espaços adequados para estocar seus produtos, com atenção às melhores práticas na hora de conservá-lo. Redobre a atenção quanto à limpeza, temperatura da sua adega para o armazém, e até sobre a inclinação adequada para guardar as garrafas. 

Cada detalhe conta e poderá ajudá-lo a evitar perdas ou a venda de itens de má qualidade, que afastam o cliente. Dessa forma, os vinhos poderão durar mais, variando de 1 a 3 anos para frutados e rosados, por exemplo, até 6 a 25 anos para vinhos tintos especiais. Na dúvida, converse detalhadamente com o fornecedor sobre a validade de cada item. 

vender vinhos online - interna

6 – Se torne uma autoridade no mercado 

Quer vender vinhos online? Então produza conteúdo online. Sim, essa é uma forma de mostrar aos clientes a tradição ou conhecimento que você e sua marca possuem sobre o assunto. Bons conteúdos podem quebrar algumas barreiras no cliente que não te conhece e tem dúvidas sobre comprar ou não de você. 

Além de te posicionar como uma autoridade no assunto, bons textos podem ajudar a apresentar os produtos para os clientes. Você pode criar uma atmosfera mais lúdica, falando mais das safras, tipos das uvas, países de origem, melhores pratos para harmonização e outros. 

Essa combinação entre informações de qualidade e ambientação ao universo daquele vinho poderá criar uma marca mais consistente, relevante e que gera aproximação e fidelização dos clientes. 

7 – Crie kits de produtos 

Criar kits pode ser uma boa maneira de apresentar produtos diversificados ao seu cliente, alavancando vendas e aumentando o ticket médio das compras. Isso porque o cliente pode ver uma boa oportunidade para adquirir mais itens a um preço atrativo pra ele, mas que também gera um faturamento relevante para a loja. 

Você pode criar kits de países variados, kits para compras de várias unidades do mesmo rótulo, o que pode gerar desconto, além de uma vantagem no frete. Também pode apostar em kits com vinhos e blends para iniciantes, a um valor baixo por garrafa, e até mesmo kits sofisticados, a preços mais altos, porém vantajosos, para clientes especializados e com maior renda.  

Ainda é possível criar kits com objetos, como abridores ou taças de vinho, ou ainda alimentos que harmonizam com aquele rótulo. Só não deixe de estudar bem seu cliente para criar combinações que realmente tenham demanda e o estimulem a comprar. Fora isso, calcule bem os valores para que sejam atrativos ao cliente, mas não comprometam sua lucratividade. 

8 – Escolha seus canais de venda 

Vender vinhos online te oferece muitas possibilidades de atrair clientes de todo o país. É mais barato do que as vendas em lojas físicas e tem esse grande potencial de expandir fronteiras, que as vendas locais tendem a limitar. Mas, para se destacar, a escolha do canal de vendas faz muita diferença. 

Você pode criar um e-commerce próprio, que te dá muita autonomia, mas irá exigir investimento com plataforma, segurança, meios de pagamento e marketing, até que sua loja se torne conhecida. Você também pode optar por vender em um marketplace, onde sua autonomia será mais limitada à construção do canal onde for vender, mas que não exige nenhum investimento inicial, já tem uma base de clientes e você só vai pagar algo quando começar a vender – uma comissão sobre as vendas. 

Estes dois são canais profissionais e que você deverá escolher ou trabalhar com ambos de forma integrada. Além disso, as estratégias podem ser conciliadas com uma boa divulgação em uma rede social, se assim desejar. 

9 – Configure anúncios bem detalhados 

Fotos de boa qualidade dos produtos, em fundo branco de preferência, são fundamentais ao vender vinhos online. Mas, além disso, também tenha uma atenção detalhada na hora de colocar as informações sobre cada garrafa vendida: do título, ficha técnica e até descrição do produto. 

O tipo da uva (ou tipos, em caso de blends), safra do produto, país de origem: cada informação importa para seu cliente, que pode variar entre o iniciante e o especialista mais exigente. Por isso, tenha certeza de que cada anúncio traz todos os detalhes sobre o item vendido e que comunicam tudo que os consumidores mais atentos poderão desejar saber. 

Você também pode criar descrições únicas, que transmitam a sensação de tomar aquele vinho e traduzam a atmosfera que deseja comunicar para o cliente. Mas, não deixe de trabalhar isso junto a uma boa estratégia de SEO, ou seja, de otimização para que o anúncio apareça em motores de busca, como o Google, e você também consiga impactar e vender para os clientes. 

10 – Crie ações promocionais e de fidelização 

Crie um calendário da sua loja para programar promoções nas datas comerciais do ano. Datas como o Dia dos Namorados, Dia dos Pais, Black Friday e Natal podem ser boas oportunidades de vendas. E, claro, você pode apostar também em outras datas como o Dia do Cliente e até o aniversário da sua loja. 

Nesse período, lembre-se de encantar o cliente com descontos, promoções relâmpago, brindes, kits, frete grátis e outras facilidades que possam atrair mais vendas. Também faça parcerias com restaurantes que possam apresentar seu produto ao público e trazer uma nova clientela.  

Essas datas comerciais podem trazer vendas com uma margem menor, porém em quantidade. Podem ser boas para atrair um cliente mais curioso e que busca uma boa oportunidade para poder se aventurar e explorar esse universo dos vinhos. Já o cliente mais exigente pode ser mais bem impactado com ações de fidelização, como programas de pontos e sorteios para, por exemplo, visitar uma vinícola. 

11 – Compareça a eventos do setor e a vinícolas 

O cliente desse setor é bastante atento e alguns sempre estão em busca de novidades. Por isso, não estacione nos conhecimentos que você já adquiriu sobre o setor.  

Saia da empresa, de vez quando, para eventos, feiras, congressos de enologia e viticultura – áreas de estudo focadas respectivamente na produção do vinho e no cultivo de uvas. E também faça viagens a vinícolas, sempre que puder, para a degustação de novos rótulos e conhecimento sobre as novidades do segmento. 

Além de aprimorar seus conhecimentos e atualizar seu estoque, estas são boas chances também para você conhecer mais gente do setor, fazer networking com fornecedores, restaurantes que possam comprar de você e até potenciais clientes finais, que podem conhecer melhor sua marca e ofertas. 

Leia também:

Americanas Marketplace: o que é e como vender neste canal?

Como vender mais? 8 dicas para você se destacar

O que é dark store e como funcionam suas operações?

Americanas Marketplace

Somos a plataforma para você vender seus produtos nas principais lojas virtuais do país: Americanas, Submarino, Shoptime e Americanas Empresas. Aqui seu negócio vai mais longe!

veja ainda:

iso 27001 - destaque

O que é a norma ISO 27001 e como implementar?

A norma ISO 27001: entenda seu papel na gestão da segurança da informação e saiba como implementar um sistema eficaz […]

cnae

CNAE: o que é e como incluir uma atividade econômica no CNPJ

CNAE: o que é e como incluir atividade econômica no seu CNPJ A CNAE é um padrão nacional para identificar […]

contrato de compra e venda - destaque

Contrato de compra e venda: como funciona e quais as garantias?

Conheça o contrato de compra e venda e saiba quando e como usá-lo em suas negociações O contrato de compra e […]