Código de barras: como ele funciona e por que é essencial?

por GS1 Brasil

20 de outubro de 2021

*Guest post por GS1.

O código de barras, também conhecido como EAN, ajuda na rastreabilidade de produtos e auxilia toda a cadeia logística. Veja mais!

O código de barras (EAN) é uma das ferramentas mais importantes para o gerenciamento e correta identificação de produtos, caixas, paletes, enfim tudo o que circula na cadeia de suprimentos. Esse tipo de marcação é um dos mais utilizados no mundo todo, logo as empresas que não trabalham com esse sistema podem perder lucratividade e não serem tão competitivas no mercado.

O código de barras tornou-se uma das principais ferramentas para automatizar processos, garantindo uma gestão mais eficaz e eficiente.

Todos os processos operacionais que envolvem o produto tornam-se mais simples com a codificação específica de cada item, o que facilita as operações de venda nos supermercados, emissão de notas fiscais, transferência de estoques, movimentação de mercadorias e liberação de pedidos. Por conta disso, pode ser um grande diferenciador competitivo, pois existem inúmeras vantagens alcançadas por essa ferramenta. Confira a seguir!

Facilita o gerenciamento e registro dos produtos

O código de barras contribui para que o comerciante atenda o cliente de forma otimizada e mais rápida, pois todas as informações referentes ao produto são rapidamente identificadas e apresentadas no momento da leitura, sendo possível saber a descrição, o seu valor e a sua unidade de medida, por exemplo. 

Na outra ponta, ou seja, no recebimento do produto para entrada no estoque, o código de barras facilita a captura dos dados dos produtos, caixas ou paletes, registrando todas as informações necessárias no sistema da empresa facilitando o trabalho dos operadores.

Reduz erros

Antes as operações de identificação, gerenciamento de estoque e venda de produtos eram feitas manualmente, o que aumentava as chances de erros humanos. 

Com o sistema de leitura automática, houve redução de erros, pois o código permite a captura destas informações de uma única vez e de forma rápida, aumentando a segurança dos processos.

Reduz custos

Outro benefício é a redução nos custos. Ao otimizar, por meio da automação, o trabalho referente a gestão de todos os processos que envolvem os produtos, a empresa consegue ser mais eficiente no controle de estoque e no planejamento de compras de novos produtos. 

Com isso, as atividades passam a ser realizadas com maior assertividade, diminuindo erros e o retrabalho, muito recorrentes quando os processos são manuais.

Facilita as relações comerciais

Por seguir um padrão global, beneficia ainda mais as relações de importação e exportação, uma vez que os códigos não se alteram de um lugar para o outro. 

Ou seja, um refrigerante em lata fabricado aqui no Brasil por uma empresa sob sua marca, terá o mesmo código quando a mesma empresa for vende-lo lá na Índia e as informações contidas nele são as mesmas.

código de barras - interna

Como o código de barras funciona?

O código de barras pode ser definido como uma representação gráfica de uma sequência de números, chamado de GTIN, que fica localizada logo abaixo dele. Cada produto possui um código diferente, o que faz com que ele funcione como uma identidade, ou seja, não existe o mesmo número para dois produtos diferentes.

O sistema apresenta a mesma lógica da computação, pois utiliza códigos binários para gerar dados. As barras em tonalidade preta e branca identificam uma sequência contendo zero e um. A combinação desses códigos binários é a representação exata de um determinado número, o que é possível ser consultado por um equipamento de leitura, podendo ser computador ou smartphone.

Caso o código não possa ser lido pelos aparelhos, é possível utilizar os números localizados abaixo das barras, também chamado de GTIN (Número Global de Item Comercial). Essa é uma numeração padronizada globalmente pela GS1, que garante que o código será exclusivo do seu produto​ em qualquer lugar do mundo. 

Existe um padrão de código de barras universal?

O padrão de código de barras mais utilizado é o EAN-13, facilmente encontrado na maioria dos produtos que vemos nos supermercados, por exemplo. Mas, a GS1, responsável pela padronização dos códigos, possui outros tipos de códigos de barras que são utilizados para diversas aplicações. 

Por exemplo, EAN-8, UPC-12 e ITF-14 que são formados por 8, 12 ou 14 dígitos. O EAN-8, é utilizado para embalagens bem pequenas, o UPC-12 é mais comum nos EUA e Canadá, enquanto que o ITF-14 é utilizado normalmente para identificar caixas nos centros de distribuição, pois identifica agrupamentos e serve para apontar a quantidade de itens acondicionados dentro da caixa. Além disso, já circula no Brasil produtos com códigos bidimensionais. 

Código de Barras no marketplace

Mesmo quem vende online pode utilizar o código de barras como, por exemplo, para ajudar na gestão do fluxo físico logístico. Ter produtos identificados com o GTIN atrelados ao código de barras, é fundamental, pois permite que o lojista venda mais na operação online e, por meio da automação do seu processo de despacho, possa garantir a entrega do produto certo para o consumidor.

Leia também:

O que é EAN e como criar um para seu produto?

Rastreabilidade de produtos: por que se atentar a isso?

O que é marketplace?

GS1 Brasil

A GS1 é conhecida pelo famoso código de barras, que impulsionou a economia criando uma linguagem única e global entre indústria e varejo. A GS1 está presente em 150 países, entre eles o Brasil, com uma história de mais de 35 anos.

veja ainda:

mrp - destaque

O que é MRP e como funciona esse sistema?

Conheça o sistema MRP e descubra como ele pode otimizar os resultados da sua empresa! Você sabe o que é MRP, […]

integrador de marketplace - destaque

Integrador de marketplace: o que é e como ele te ajuda?

Utilizar um integrador de marketplace pode acelerar o cadastro de produtos e centralizar sua gestão de todos os canais O integrador […]

cross border - destaque

Cross border: o que é e como iniciar essa operação?

Entenda o que é uma operação cross border e como colocá-la em prática para internacionalizar sua marca! Você sabe o […]