Lojas físicas: 17 tendências para o futuro do varejo

por Americanas Marketplace

20 de junho de 2024

As lojas físicas no Brasil precisam estar atentas às inovações e futuro do varejo. Veja algumas tendências

As lojas físicas no Brasil estão em constante transformação, sendo que o varejo físico vem sendo impulsionado por mudanças tecnológicas, comportamentais e econômicas. Para lojistas e empreendedores, entender as tendências de mercado é crucial para manter a competitividade e atender às expectativas dos consumidores.

Neste artigo, exploraremos as principais tendências que moldarão o futuro das lojas físicas no Brasil.

1 – Tomada de decisão baseada em dados

No cenário atual, a utilização de dados para orientar decisões estratégicas é fundamental. Ferramentas de análise de dados permitem que os lojistas compreendam melhor o comportamento dos clientes, identifiquem padrões de compra e ajustem suas estratégias de marketing e vendas. De acordo com uma pesquisa realizada pela McKinsey & Company, empresas que utilizam dados de forma eficiente têm uma probabilidade 23 vezes maior de adquirir clientes, seis vezes mais chances de reter clientes e 19 vezes mais chances de serem lucrativas.

Implementação de sistemas de gestão

Para aproveitar ao máximo os dados disponíveis, é essencial implementar sistemas de gestão modernos, como os ERP (Enterprise Resource Planning) e CRM (Customer Relationship Management). Esses sistemas não apenas centralizam as informações, mas também oferecem insights valiosos que podem ser utilizados para melhorar a eficiência operacional e personalizar a experiência do cliente.

2 – Experiência do cliente

A personalização é uma das principais expectativas dos consumidores modernos. Segundo um estudo da PwC, 73% dos consumidores afirmam que a experiência do cliente é um fator importante em suas decisões de compra. Lojas físicas podem se destacar oferecendo um atendimento personalizado, utilizando tecnologias como o CRM para conhecer melhor seus clientes e adaptar o serviço às suas preferências.

Ambientes imersivos e interativos

Outra tendência é a criação de ambientes imersivos e interativos. Lojas que investem em design de interiores inovador e em tecnologias como realidade aumentada (AR) e realidade virtual (VR) proporcionam experiências únicas, que vão além da simples compra de produtos. Esse tipo de ambiente não só atrai mais clientes, mas também aumenta o tempo de permanência na loja e, consequentemente, as vendas.

3 – Omnicanalidade

A integração perfeita entre canais online e offline, conhecida como omnicanalidade, é essencial para atender às expectativas dos consumidores atuais. Clientes esperam poder iniciar uma compra online e finalizá-la na loja física, ou vice-versa, sem qualquer atrito. De acordo com a Harvard Business Review, empresas com estratégias omnicanal bem implementadas retêm em média 89% dos seus clientes, em comparação com 33% daqueles com estratégias fracas de omnicanalidade.

Logística e estoque integrados

Para que a omnicanalidade funcione de maneira eficaz, é necessário integrar os estoques e a logística entre os diferentes canais. Isso significa que o estoque da loja física deve estar sincronizado com o estoque do e-commerce, permitindo uma gestão mais eficiente e evitando rupturas de estoque. Tecnologias como RFID (Radio-Frequency Identification) e sistemas de gestão de estoque em tempo real são cruciais para esse processo.

4 – Sustentabilidade

A sustentabilidade é uma preocupação crescente entre os consumidores, e o varejo não fica de fora dessa tendência. A adoção de práticas sustentáveis, como a utilização de embalagens ecológicas, a redução do desperdício e a escolha de fornecedores comprometidos com o meio ambiente, pode diferenciar uma loja no mercado. Segundo uma pesquisa da Nielsen, 81% dos consumidores globais sentem fortemente que as empresas devem ajudar a melhorar o meio ambiente.

Transparência e responsabilidade social

Além de práticas sustentáveis, os consumidores também valorizam a transparência e a responsabilidade social das empresas. Lojas que comunicam de forma clara suas ações em prol da sustentabilidade e demonstram responsabilidade social corporativa tendem a ganhar a confiança e a lealdade dos clientes.

5 – Automatização e tecnologia

automatização de processos é uma tendência que vem crescendo no varejo físico. A implementação de sistemas automatizados pode reduzir custos operacionais, aumentar a eficiência e melhorar a experiência do cliente. Exemplos incluem caixas de autoatendimento, sistemas de pagamento móvel e gestão automatizada de estoques.

Inteligência artificial e machine learning

inteligência artificial (IA) e o machine learning (ML) estão revolucionando o varejo ao fornecer insights detalhados sobre o comportamento do consumidor e prever tendências futuras. Essas tecnologias podem ser usadas para personalizar ofertas, otimizar preços e melhorar a gestão de inventário. Segundo a Gartner, até 2025, 75% dos varejistas globais investirão em tecnologias de IA e ML.

6 – Transformação digital

A transformação digital envolve a incorporação de tecnologias digitais em todas as áreas da operação de uma loja física. Isso pode incluir desde a digitalização do ponto de venda até o uso de marketing digital para atrair clientes. De acordo com a Accenture, empresas que adotam a transformação digital apresentam um crescimento de receita 26% maior em comparação com aquelas que não adotam.

Plataformas de e-commerce e marketplaces

A presença em plataformas de e-commerce e marketplaces é essencial para os varejistas que desejam expandir seu alcance e aumentar as vendas. A digitalização permite que as lojas físicas também vendam online, oferecendo uma experiência de compra integrada e conveniente para os clientes.

7 – Novos modelos de negócio

As pop-up stores e lojas temporárias são uma tendência crescente no varejo. Esses formatos permitem que os varejistas testem novos mercados, lancem produtos exclusivos e criem experiências de marca sem o compromisso de um ponto de venda permanente. Segundo a Storefront, 80% das marcas que utilizam pop-up stores afirmam que essa estratégia aumenta a conscientização sobre a marca.

Assinaturas e serviços recorrentes

Os modelos de negócios baseados em assinaturas e serviços recorrentes estão se tornando cada vez mais populares. Eles oferecem uma fonte de receita estável e permitem um relacionamento contínuo com os clientes. Exemplos incluem assinaturas de produtos de beleza, alimentos orgânicos e serviços de manutenção.

8 – Engajamento e comunidade

As lojas físicas têm uma oportunidade única de se tornarem centros de engajamento comunitário. Organizar eventos locais, workshops e colaborações com artistas e produtores regionais não só atrai clientes, mas também fortalece os laços com a comunidade. A construção de uma base de clientes leais e engajados pode ser um diferencial significativo em um mercado competitivo.

Marketing de experiência

O marketing de experiência foca em criar momentos memoráveis para os clientes dentro da loja. Em vez de apenas vender produtos, a loja oferece uma experiência que cativa e envolve o consumidor, seja através de demonstrações ao vivo, degustações, ou eventos especiais. Esse tipo de abordagem não só aumenta as vendas, mas também gera um boca a boca positivo e cria um vínculo emocional com a marca.

lojas físicas - interna

9 – Adaptação às mudanças de comportamento do consumidor

A pandemia de COVID-19 trouxe mudanças significativas nos hábitos de compra dos consumidores. Muitos passaram a valorizar mais a segurança e a conveniência, preferindo lojas que adotam medidas sanitárias rigorosas e oferecem opções de compra online e retirada na loja. Segundo a McKinsey, 75% dos consumidores brasileiros experimentaram novos comportamentos de compra durante a pandemia, e a maioria pretende continuar com esses hábitos no futuro.

Foco em bem-estar e saúde

O aumento da conscientização sobre saúde e bem-estar também está influenciando o varejo físico. Lojas que oferecem produtos saudáveis, sustentáveis e que promovem um estilo de vida equilibrado estão se destacando. Além disso, proporcionar um ambiente de compra seguro e higiênico tornou-se um critério essencial para muitos consumidores, reforçando a importância de práticas sanitárias eficazes.

10 – Inovação e diferenciação

design das lojas está evoluindo para se adaptar às novas expectativas dos consumidores. Investir em um layout que facilite a navegação, criar espaços aconchegantes e visualmente atraentes, e integrar elementos tecnológicos são estratégias que podem diferenciar uma loja da concorrência. A inovação no design não só melhora a experiência do cliente, mas também pode influenciar positivamente a percepção da marca.

Produtos exclusivos e personalizados

Oferecer produtos exclusivos e personalizados é uma maneira eficaz de atrair e fidelizar clientes. A customização permite que os consumidores adquiram itens únicos, feitos sob medida para suas preferências e necessidades. Essa abordagem não apenas agrega valor ao produto, mas também cria uma conexão emocional entre o cliente e a loja.

11- Relações de parceria e colaboração

Parcerias estratégicas podem expandir o alcance e a influência de uma loja física. Colaborações com outras marcas, especialmente aquelas que compartilham os mesmos valores e público-alvo, podem resultar em campanhas de marketing conjuntas, eventos especiais e produtos co-branded. Além disso, trabalhar com negócios locais fortalece a economia da comunidade e atrai consumidores que valorizam o apoio ao comércio local.

12 – Pagamento por aproximação e tecnologias contactless

Com a crescente preocupação com higiene e segurança, especialmente após a pandemia de COVID-19, o pagamento por aproximação e outras tecnologias contactless ganharam grande destaque. Segundo um relatório da Visa, 48% dos consumidores brasileiros preferem métodos de pagamento por aproximação devido à conveniência e à segurança que proporcionam. Além disso, a pesquisa aponta que o uso de cartões contactless aumentou 30% no último ano, evidenciando a tendência de adoção dessas tecnologias.

13 – Micro-momentos e compras instantâneas

Os micro-momentos, definidos como aqueles instantes em que os consumidores recorrem rapidamente aos seus dispositivos móveis para resolver uma necessidade imediata, estão moldando o comportamento de compra. De acordo com um estudo da Google, 82% dos usuários de smartphones consultam seus dispositivos antes de fazer uma compra em uma loja física. Para os varejistas, isso significa que estar presente e ser relevante nos canais digitais durante esses micro-momentos pode ser decisivo para atrair consumidores e aumentar as vendas.

14 – Atendimento virtual e assistentes de voz

O uso de assistentes virtuais e de voz está transformando a maneira como os consumidores interagem com as lojas físicas e online. Uma pesquisa da Statista revelou que, até 2023, mais de 8 bilhões de dispositivos com assistentes de voz estarão em uso globalmente. No Brasil, essa tendência também é crescente, com cada vez mais consumidores utilizando assistentes como Alexa e Google Assistant para pesquisar produtos, verificar preços e até realizar compras. Integrar essas tecnologias pode proporcionar uma experiência de compra mais fluida e conveniente.

15 – Transformação do espaço físico das lojas

A transformação dos espaços físicos das lojas vai além do design e da automação; envolve também a reconfiguração dos layouts para melhor atender às necessidades e expectativas dos consumidores modernos. Segundo um relatório da CBRE, 75% dos varejistas estão reformulando suas lojas físicas para criar espaços mais abertos e flexíveis, que possam ser facilmente adaptados para diferentes tipos de eventos e experiências. Esse tipo de flexibilidade permite que as lojas ofereçam eventos pop-up, exposições de produtos e outras atividades interativas que atraem e envolvem os clientes de maneiras novas e excitantes.

16 – Programas de fidelidade baseados em blockchain

Os programas de fidelidade estão evoluindo com o uso de tecnologias emergentes, como o blockchain. Esta tecnologia oferece maior segurança e transparência, tornando os programas mais confiáveis para os consumidores. Segundo um estudo da Deloitte, 60% das empresas que utilizam blockchain para programas de fidelidade relataram um aumento na confiança do cliente. No Brasil, essa tecnologia está ganhando espaço, especialmente em setores como alimentação e varejo, onde a transparência e a segurança das transações são cruciais.

Programa de fidelidade para reter clientes

Implementar programas de fidelidade e incentivos é uma maneira eficaz de aumentar a retenção de clientes. Oferecer descontos exclusivos, recompensas por compras frequentes e benefícios adicionais para membros do programa de fidelidade motiva os clientes a retornarem. Esses programas não só aumentam as vendas, mas também incentivam a lealdade à marca e criam uma base de clientes recorrentes.

17 – Conveniência e logística last-mile

A logística last-mile, ou última milha, refere-se à etapa final do processo de entrega, onde o produto chega até o consumidor final. A eficiência nessa etapa é crucial para a satisfação do cliente. De acordo com uma pesquisa da McKinsey, 25% dos consumidores estão dispostos a pagar um valor adicional por entregas no mesmo dia. No Brasil, a demanda por soluções de logística last-mile está crescendo rapidamente, impulsionada pelo aumento das compras online e pela necessidade de entregas rápidas e convenientes. Investir em tecnologias e parcerias que otimizem essa etapa pode ser um grande diferencial competitivo para os varejistas, incluindo lojas físicas que também trabalhem com sistema de entrega.

O futuro das lojas físicas no Brasil depende da capacidade dos lojistas de se adaptarem às novas tendências e expectativas dos consumidores. Por isso, investir em tecnologia, criar experiências de compra memoráveis e adotar práticas sustentáveis são passos essenciais para garantir o sucesso em um mercado em constante evolução. A chave para prosperar será a combinação de inovação, personalização e um foco genuíno na satisfação do cliente.

Leia também:

Vender na Americanas: guia completo e estratégias

O que é logística e como gerenciar sua operação?

Ruptura de estoque: o que é e dicas para evitar

Americanas Marketplace

Somos a plataforma para você vender seus produtos nas principais lojas virtuais do país: Americanas, Submarino, Shoptime e Americanas Empresas. Aqui seu negócio vai mais longe!

veja ainda:

perfumaria - destaque

Perfumaria: dicas para começar o seu negócio 

O mercado de perfumaria traz boas oportunidades para os lojistas, mas é preciso saber se posicionar corretamente! Veja estas dicas […]

burocracia - destaque

Como lidar com a burocracia das vendas online

Enfrentando os desafios da burocracia ao criar e vender no e-commerce Vender online oferece inúmeras oportunidades para empreendedores, mas também traz […]

zona de conforto - destaque

7 atitudes para tirar o seu negócio da zona de conforto

Ficar na zona de conforto não leva ninguém a outro patamar. Veja como ter um negócio inovador e preparado para […]