Passivo circulante e não circulante: como gerenciar suas obrigações financeiras

por Americanas Marketplace

25 de maio de 2023

Passivo é o conjunto de obrigações financeiras que uma empresa possui, incluindo despesas e dívidas, independentemente do prazo de pagamento ou sua frequência.

O passivo circulante e não circulante de uma empresa são as obrigações financeiras de um CNPJ e se diferenciam um do outro pelo prazo de pagamento, mais curto ou mais longo, a depender da dívida.

Conhecer o passivo da empresa ajuda a dar um horizonte da dívida que ela tem a pagar e a janela de tempo para isso. Veja mais sobre o que é o passivo de uma empresa, diferenças de passivos circulantes e não circulantes e sua importância.

O que é um passivo?

Em contabilidade, um passivo é uma obrigação ou dívida que uma entidade ou empresa deve pagar ou cumprir no futuro. Isso significa que um passivo é uma quantia de dinheiro que a empresa deve a outras pessoas, organizações ou entidades, seja em curto ou longo prazo. 

Existem vários exemplos de passivos em contabilidade. Alguns dos exemplos mais comuns são:

  • Empréstimos bancários: dinheiro emprestado de um banco que a empresa deve pagar de volta com juros.
  • Contas a pagar: valor que a empresa deve a fornecedores ou prestadores de serviços.
  • Salários a pagar: valor devido aos funcionários da empresa em relação a salários, férias, décimo terceiro salário, entre outros.
  • Impostos a pagar: valor devido a órgãos governamentais em relação a impostos, taxas e contribuições.
  • Dividendos a pagar: valor que a empresa deve pagar aos seus acionistas como distribuição de lucros.
  • Adiantamentos de clientes: valores recebidos antecipadamente pelos clientes como forma de garantir a entrega de um produto ou serviço.
  • Títulos a pagar: promissórias, notas promissórias, letras de câmbio, entre outros documentos que representam uma obrigação futura de pagamento.
  • Financiamentos: valores financiados por instituições financeiras que a empresa deve pagar de volta em parcelas.

Esses são apenas alguns exemplos comuns de passivos, mas existem muitos outros tipos de passivos, dependendo da natureza das obrigações financeiras da empresa.

Qual é a importância do passivo?

O passivo é uma parte importante das finanças de uma empresa, pois representa suas obrigações financeiras a curto e longo prazo. É importante gerenciar corretamente os passivos para garantir que a empresa tenha a capacidade financeira de cumprir com todas as suas obrigações, incluindo pagamentos de empréstimos, salários, fornecedores, impostos, entre outros.

Gerenciar o passivo de maneira eficaz também pode ajudar a empresa a obter crédito no futuro, uma vez que instituições financeiras e credores tendem a avaliar a capacidade de uma empresa de gerenciar suas dívidas e obrigações financeiras antes de conceder empréstimos ou outras formas de financiamento.

Ao examinar a relação entre os passivos e ativos, por exemplo, pode-se determinar a capacidade da empresa de cumprir suas obrigações financeiras e avaliar sua saúde financeira geral.

Qual é a diferença entre ativo e passivo?

Ativo e passivo são duas categorias fundamentais de contabilidade, que representam os recursos e obrigações financeiras de uma empresa. A principal diferença entre eles é que o ativo é o que a empresa possui, enquanto o passivo é o que a empresa deve.

O ativo representa os recursos e bens que podem ser convertidos em dinheiro ou usados para gerar receitas futuras. Alguns exemplos de ativos incluem dinheiro em caixa, contas a receber, estoques, investimentos, imóveis, equipamentos, entre outros. Acesse nosso artigo para saber a diferença entre ativos circulantes e não circulantes. 

Por outro lado, o passivo representa as obrigações financeiras que a empresa deve cumprir, como dívidas, empréstimos, contas a pagar, salários a pagar, impostos a pagar, entre outros.

A diferença entre o ativo e o passivo pode ser calculada por meio do patrimônio líquido, que é a diferença entre os ativos e os passivos de uma empresa. Quando o ativo é maior do que o passivo, a empresa tem patrimônio líquido positivo e está em uma posição financeira saudável. Por outro lado, quando o passivo é maior do que o ativo, a empresa tem patrimônio líquido negativo e pode enfrentar dificuldades financeiras.

Os passivos podem ser circulantes ou não circulantes. Confira o que é cada um e qual a importância dos passivos para o seu negócio. 

O que são passivos circulantes?

Os passivos circulantes são obrigações financeiras de uma empresa que devem ser pagas em um período de até um ano, ou seja, em um ciclo operacional normal da empresa. Essas obrigações são consideradas “circulantes” porque estão relacionadas às atividades de curto prazo da empresa e devem ser pagas dentro de um prazo relativamente curto.

Alguns exemplos comuns de passivos circulantes incluem contas a pagar a fornecedores, salários a pagar, impostos, empréstimos de curto prazo, dividendos, entre outros.

Os passivos circulantes são importantes porque podem impactar o fluxo de caixa da empresa a curto prazo. É necessário gerenciá-los adequadamente para garantir que a empresa tenha os recursos financeiros necessários para cumprir com suas obrigações financeiras no prazo correto.

Além disso, os passivos circulantes também são um indicador importante da saúde financeira da empresa. A análise de liquidez corrente, por exemplo, compara os passivos circulantes com os ativos circulantes da empresa e é usado como uma medida da capacidade da empresa de pagar suas obrigações circulantes a curto prazo.

Quais são os tipos de passivos circulantes?

Podemos dividir os passivos circulantes em três categorias:

Passivo circulante operacional: refere-se a contas relacionadas ao funcionamento do negócio, como o pagamento de salários, impostos e fornecedores, por exemplo.

Passivo circulante financeiro: envolve contas relacionadas às movimentações financeiras da empresa, como empréstimos de curto prazo, financiamentos, e outras obrigações financeiras de curto prazo.

Passivo circulante cíclico: inclui contas que se repetem regularmente, como por exemplo, contas a pagar de fornecedores que oferecem prazo de pagamento padrão ou impostos mensais que precisam ser pagos.

Quais são os passivos circulantes de uma empresa?

Os passivos circulantes compreendem todos os compromissos financeiros, dívidas e obrigações que devem ser quitadas dentro de um prazo de até um ano. Isso engloba empréstimos e notas promissórias que possuem vencimento nesse período, além das contas a pagar que são essenciais para a manutenção das atividades de uma empresa.

Qual é a importância do passivo circulante?

O passivo circulante é importante para uma empresa por diversas razões:

Gestão do fluxo de caixa: o passivo circulante representa as dívidas e obrigações de curto prazo que uma empresa possui, o que significa que a gestão adequada desse passivo é fundamental para o fluxo de caixa da empresa. O controle dos pagamentos que devem ser realizados no curto prazo pode evitar atrasos e garantir que a empresa tenha recursos financeiros suficientes para cumprir com suas obrigações.

Honrar com as obrigações: Uma empresa com uma grande quantidade de passivos circulantes pode ter dificuldades para honrar suas dívidas e obrigações no curto prazo, o que pode comprometer sua saúde financeira e credibilidade no mercado.

Tomada de decisões: a análise do passivo circulante pode auxiliar na tomada de decisões financeiras e estratégicas de uma empresa. A compreensão dos compromissos financeiros de curto prazo pode ajudar a definir prioridades de pagamento e direcionar investimentos de forma mais eficiente.

Relacionamento com fornecedores: a gestão adequada do passivo circulante pode melhorar o relacionamento com fornecedores, uma vez que a empresa estará pronta para honrar seus compromissos e pagar suas dívidas em dia.

Portanto, é fundamental que uma empresa mantenha um controle eficiente dos seus passivos circulantes, a fim de garantir a sua saúde financeira e a continuidade das suas atividades.

O que são passivos não circulantes?

Passivos não circulantes, também conhecidos como passivos de longo prazo, são obrigações financeiras que não são esperadas para serem liquidadas no curto prazo, ou seja, em um período superior a um ano. Esses passivos são geralmente classificados no balanço patrimonial da empresa como uma categoria separada dos passivos circulantes, que são as obrigações de curto prazo.

passivo circulante - interna

Exemplos de passivos não circulantes

Podemos considerar como exemplos de passivos não circulantes contas, despesas e dívidas que possuem um prazo maior de quitação, como:

  • Empréstimos bancários de longo prazo;
  • Aportes financeiros de acionistas, sócios e/ou investidores com tempo de quitação superior a um ano;
  • Debêntures, que são títulos de créditos de um empréstimo;
  • Compras parceladas com período de pagamento superior a 12 meses.

Como funciona o passivo circulante e o passivo não circulante?

Tanto o passivo circulante como o passivo não circulante seguem o mesmo funcionamento no balanço patrimonial. Ambos são apresentados no lado direito do relatório contábil, juntamente com o Patrimônio Líquido, que representa todos os recursos próprios da empresa, incluindo o capital social, as reservas de lucros, os prejuízos acumulados e os investimentos realizados pelos sócios.

Em resumo, o patrimônio líquido reflete o retorno financeiro obtido pelos empreendedores em um determinado período.

Como calcular o passivo circulante?

Para calcular passivo circulante, considere a seguinte fórmula:

Ativo = passivo + patrimônio líquido


O cálculo do patrimônio líquido de uma empresa é obtido pela subtração do total de passivos do total de ativos. É por meio desse indicador que gestores e contadores conseguem avaliar o retorno financeiro da empresa até o momento.

Dessa forma, a gestão dos ativos circulantes e não circulantes é fundamental para garantir a sustentabilidade financeira da empresa, sua capacidade de crescimento e competitividade no mercado.

Qual a relação do cálculo com o balanço patrimonial?

O plano de contas e o balanço patrimonial são fundamentais para que os responsáveis conheçam a real situação financeira da empresa, com seus ativos e passivos, tanto circulantes quanto não circulantes.

A partir dessas informações, é possível redesenhar estratégias financeiras, planejar o futuro e tomar decisões mais acertadas. Além disso, é possível monitorar a entrada e saída de dinheiro de forma mais precisa e dividir melhor os ganhos, principalmente em caso de sociedades empresariais.

O que é o balanço patrimonial?

O balanço patrimonial é um relatório contábil que apresenta a posição financeira de uma empresa em determinado momento. Ele é dividido em duas partes principais: ativo e passivo. O ativo apresenta todos os recursos e bens que a empresa possui, como dinheiro em caixa, contas a receber, imóveis, estoques, entre outros. Já o passivo apresenta todas as dívidas e obrigações financeiras da empresa, como empréstimos, contas a pagar, salários a pagar, entre outras.

A partir do balanço patrimonial, é possível calcular o patrimônio líquido da empresa, que representa a diferença entre o ativo e o passivo. Esse valor indica o valor real da empresa, ou seja, quanto ela vale no mercado, levando em consideração todos os seus bens, dívidas e obrigações. O balanço patrimonial é uma ferramenta fundamental para gestores e investidores avaliarem a saúde financeira da empresa e tomarem decisões estratégicas.

Aqui, vale lembrar que de acordo com o § 1º do artigo 176 da Lei 6.404/76, ao término de cada exercício social todas as empresas devem apresentar diversos demonstrativos financeiros.

Para que serve o balanço patrimonial?

O balanço patrimonial é um instrumento fundamental da contabilidade que permite avaliar a posição econômica e financeira de uma empresa. Ele é importante para:

  • Analisar o desempenho financeiro da empresa e, assim, fornecer uma base para a criação de um planejamento estratégico adequado;
  • Acompanhar o fluxo dos recursos financeiros;
  • Apresentar os resultados alcançados em um determinado período aos acionistas e investidores;
  • Aperfeiçoar as decisões financeiras do negócio, entre outras coisas.

É muito importante que você tenha um profissional que te auxilie no balanço patrimonial e analise os passivos, ativos e o patrimônio líquido da sua empresa. Esses demonstrativos vão ajudar a decidir quais decisões tomar visando uma boa saúde financeira do seu negócio.


Leia também:

Ativo circulante e não circulante: o que você precisa saber
3 indicadores financeiros que você precisa acompanhar
Planejamento financeiro: 7 dicas para sua empresa

Americanas Marketplace

Somos a plataforma para você vender seus produtos nas principais lojas virtuais do país: Americanas, Submarino, Shoptime e Americanas Empresas. Aqui seu negócio vai mais longe!

veja ainda:

redução de custos - destaque

Redução de custos: 10 dicas para realizar corretamente

Confira 10 estratégias para uma redução de custos eficiente e inteligente, que mantém a qualidade e a eficácia operacional A […]

pix cobrança - destaque

Pix cobrança: entenda o que é e quais as vantagens

Descubra o que é o pix cobrança e todas as vantagens que ele pode trazer para o seu empreendimento! Você […]

payment as a service - destaque

Payment as a service: o que é e como pode te ajudar

Sabe o que é payment as a service? Essa plataforma facilita que empresas de diferentes setores contem com soluções bancárias […]